A rotina de continuar saindo de casa para trabalhar na quarentena

Na foto, uma das máscaras de tecido que fiz para mim, um dos potinhos de álcool gel que estou usando,
minha agenda e lapiseira.

Olá! Como você está? Espero que bem. Eu estou bem, graças a Deus, apesar de continuar tendo que sair de casa para trabalhar durante a quarentena. A empresa onde trabalho não suspendeu as atividades.

Mas, nos dias em que não tenho que trabalhar, não saio de casa para nada. Pois sei que só o isolamento social pode fazer com que tudo isso termine mais rápido e com menos vítimas. E hoje eu vim aqui no blog contar um pouco do que tem sido essa minha rotina de continuar saindo de casa para trabalhar em meio à pandemia. 

É uma sensação estranha continuar circulando pelas ruas com lojas fechadas, pouco movimento de carros... Mas, ao mesmo tempo, em alguns lugares do meu trajeto casa X trabalho, vejo muita gente circulando normalmente, como se nada de diferente estivesse acontecendo. É como se Caxias não estivesse em quarentena.

Dá tristeza de ver as pessoas levando vida normal, lojas de itens não essenciais abertas, crianças brincando nas ruas, o futebol de todo dia no fim de tarde, grupinhos de adolescentes conversando nas esquinas, a galera fitness que sai para se exercitar em bando... Dá medo do que está por vir.


Máscaras de proteção

A empresa onde trabalho forneceu máscaras de proteção para os funcionários, mas eu optei por usar as que eu mesma fiz. Inclusive, escrevi um post específico sobre elas. Confira aquiTambém cheguei a confeccionar algumas para colegas de trabalho que me pediram.


Passar o dia inteiro com uma máscara no rosto, respirando através de duas camadas de tecido incomoda um pouco, mas é necessário. Tenho usado duas por dia. Saio com uma de manhã e levo outra dentro da bolsa, num saquinho. Troco no horário do almoço e guardo a suja em outro saquinho.


Álcool gel

Comprei um potão de um litro de álcool gel, que deixo em casa, e vou abastecendo um potinho menor que carrego sempre na bolsa. Também tem o álcool fornecido pela empresa, com o qual eu abasteço o outro potinho, que fica na minha mesa de trabalho.

Tenho usado principalmente após entrar e descer dos ônibus. Mas, às vezes, me parece que o uso do álcool gel traz somente uma falsa sensação de prevenção. Porque eu abro o bolsinho externo da minha bolsa, pego o potinho de álcool, depois pego novamente no zíper da bolsa que eu tinha pegado antes para poder fechar. Depois pego no celular, no qual eu tinha tocado antes... Enfim, tenho focado bem mais em me policiar para não levar as mãos ao rosto. Mas, obviamente, vou continuar usando o álcool.

O outro potinho de álcool gel que fica na minha mesa de trabalho.
Coloquei meu nome para não se perder. Não pelo álcool, mas sim pelo potinho.


Veja também:

Convivência com os colegas de trabalho

A convivência com os colegas de trabalho mudou bastante. Todos usamos máscaras, lavamos as mãos com muito mais frequência, usamos o álcool gel que fica à disposição em cada sala, tentamos manter o máximo de distanciamento um do outro...

Mesmo assim, o medo de ser infectada é constante.Quando algum dos colegas espirra ou tosse, os demais já ficam em alerta. Quando ficamos sabendo que algum dos funcionários está com sintomas da covid-19 e vem a confirmação do diagnóstico, bate uma tristeza e também a constatação de que a doença está muito, muito perto.
Mas a gente não pode entrar em pânico, devemos sim continuar nos cuidando, nos prevenindo e cumprindo o máximo de isolamento social que conseguirmos.


Acordo de redução da jornada e do salário

A empresa adotou o que sugere a MP 936 editada pelo governo federal no início de abril e que autoriza a redução de jornada e salário. Neste acordo, a empresa paga ao funcionário somente uma parte do salário e o governo entra com o restante. Eu fiquei receosa de que não receberia a parte a cargo do governo. Mas, após um mês trabalhando sob este regime, recebi a primeira parcela certinha, sem stress.


Como vai a saúde mental

E como eu estou, psicologicamente falando, em meio a isso tudo? No geral estou bem, não estou em nenhum dos extremos, nem em pânico nem descuidando das medidas de prevenção. Um pouco apreensiva com o que virá pela frente, mas esperançosa de que as coisas irão se ajeitar.

No período que passo em casa, estou aproveitando para fazer minhas coisinhas. Tenho sentido muita vontade de fazer coisas para mim mesma, pro meu quarto. Depois que criei a loja virtual, quase tudo que confeccionei foi com foco em vendas, em pedidos de clientes. Então, neste momento, estou focando em produzir para mim. Também tenho focado ainda mais na gratidão pelas coisas simples. Em meio a tudo isso que estamos vivendo, só de estarmos respirando normalmente já é uma dádiva! Sejamos gratos! _/\_

Mas, e você? O que tem feito? Como tem lidado com tudo isso?

Postar um comentário

0 Comentários