sexta-feira, 7 de setembro de 2018

,

Quem acompanha o blog, já tá acostumado a ver por aqui as transformações de roupas que eu faço de vez em quando. Porém, não são só roupas que eu costumo modificar e reutilizar. Na verdade, eu gosto de fazer isso com qualquer coisa que eu sinta que precise de alguma alteração para ficar do jeito que eu gosto e eu realmente usá-la.

Por exemplo, quando eu fiz o publipost para a loja Gorila Clube no ano passado, entre os produtos da marca que recebi como presskit, veio este estojo super fofo de poás e estampa de corujinhas. Eu amei, achei lindo!

Mas, a verdade é que um estojo não é uma coisa que tenha muita utilidade para mim, pois eu não estou mais estudando. Eu estou sempre fazendo minhas leituras, claro, mas faço isso em casa. Não preciso carregar lápis e canetas para algum outro lugar. Costumo deixar numa caixinha na minha escrivaninha mesmo.

Então, acabou que o estojo ficou mesmo é largado aqui em casa por um bom tempo. Até que eu tive a ideia de transformá-lo em nécessaire, que seria muito mais útil para mim. Afinal, a que eu estava usando já estava bem velhinha e capenga.

Estojo e nécessaire são 2 coisas com utilizações parecidas. Enquanto um serve para carregar lápis, borracha e canetas, o outro acomoda itens de beleza e higiene pessoal, como batom, rímel, escova de dentes, absorvente, etc. Ambos são bolsas de tamanho pequeno que a gente usa para guardar miudezas de ordem prática que utilizamos com frequência no dia a dia.

Estojo escolar estampa poás Gorila Clube


Estojo escolar estampa corujas Gorila Clube


Estojo escolar estampa corujas Gorila Clube

Porém, apesar da aplicação parecida, os 2 normalmente têm formatos um tanto diferentes. Por isso, eu precisei fazer algumas mudanças na modelagem do estojo, que é sempre mais comprido, para que ele virasse uma nécessaire, normalmente com um formato mais compacto.

Mas, como ele tinha uma modelagem diferenciada, com uma dobra no fundo com sobra de tecido, após desmanchar a costura das extremidades, eu só precisei diminuir um pouco da largura, cortando dos 2 lados para centralizar a estampa, e mantive a altura. Depois, eu utilizei as 2 sobras das pontas para fazer as próprias laterais da nécessaire.

Transformando estojo escolar em nécessaire

Após costurar tudo, o resultado foi esse aqui embaixo. E eu simplesmente adorei! A nécessaire ficou linda! 😍 A mudança inclusive fez com que a estampa de corujinhas ficasse bem mais visível do que antes. Super fofa!

Upcycling: estojo virou nécessaire

Eu estava precisando de uma nécessaire nova e não precisei comprar, bastou olhar com outros olhos para uma coisa que eu já tinha em casa, mas não usava e dar a ela uma nova função. Adoro quando consigo fazer isso. ❤

sábado, 18 de agosto de 2018

,
Seios de Crochê Mamas Didáticas Prótese

Há alguns meses atrás, eu recebi uma encomenda "diferente". E já tem um tempinho que eu quero dividir com vocês essa experiência bacana que eu tive. Uma pessoa entrou em contato comigo através da fanpage perguntando se eu fazia seios de crochê. Junto com a pergunta,  ela me enviou uma foto ilustrando o que ela queria. 

Eu analisei a foto por um tempo e respondi que sim, eu fazia. Afinal, tratavam-se de peças redondas feitas em crochê circular e usando um único ponto. O que não tem muito segredo para quem já tem uma certa experiência com crochê. 

Mas, confesso que fiquei curiosa para saber que uso a cliente daria para seios de crochê. Pois, até então, eu só havia visto algo parecido através do trabalho da artista Karen Dolorez, que tem entre suas criações mais populares peitos de crochê, planos ou tridimensionais, que ela costuma espalhar pelos muros de São Paulo, compondo suas street art, ou vender como objetos de decoração.

Porém, se no trabalho da artista, a ideia é dessexualizar o corpo feminino, em relação a estes outros peitos de crochê que me encomendaram, a motivação está diretamente relacionada à saúde feminina.


Mamas didáticas

Isso porque os seios de crochê servem como material de apoio para palestras e cursos sobre amamentação ou autoexame para prevenção ao câncer de mama, sendo também conhecidos como mamas didáticas.

Eu confesso que não sabia disso mas, após receber essa encomenda, resolvi pesquisar a respeito e fiquei muito feliz em saber que, com minhas habilidades manuais, eu posso dar a minha contribuição para uma causa tão importante.

A Cris, a cliente que entrou em contato comigo pelo Facebook e que, até então, não me conhecia, é uma enfermeira apaixonada pela profissão e encomendou 1 par de seios de crochê para usar em suas demonstrações sobre autoexame das mamas.


Receita que eu criei

Como seria a primeira vez que eu faria seios de crochê, eu pesquisei por receitas e gráficos na internet. E achei alguns vídeos e textos que me ajudaram bastante. Mas, no fim das contas, eu criei a minha própria receita, pois não gostei muito do formato dos seios que resultavam das receitas que encontrei prontas. 

Seios de Crochê Mamas Didáticas Prótese

Eu queria que os peitos ficassem o mais próximo possível do formato de seios naturais. E gostei bastante do resultado que consegui. A cliente também. ❤

Na confecção dos seios, eu usei linhas 100% algodão com toque macio. E para o enchimento, eu utilizei fibra de silicone antialérgica. Optei por este material ao invés do popular acrilon porque, além de serem usados como material didático, os seios de crochê também podem servir como alternativa de prótese para mulheres que se submeteram à mastectomia e não podem pagar por um implante de silicone.

Seios de Crochê Mamas Didáticas Prótese
Os seios de crochê são confeccionados com linha 100% algodão de toque macio,
com enchimento de fibra de silicone antialérgica e forrado.

Por isso, além de usar um material antialérgico, eu fiz questão de forrar o enchimento com tecido ao invés de simplesmente colocá-lo direto dentro do crochê como vi em todos os tutoriais que assisti por aí. Tive essa preocupação para que os seios sejam totalmente laváveis e não soltem pedaços do enchimento com o uso. 

Esta peça que eu adorei fazer e, acima de tudo, me ensinou tanto, está disponível na minha loja para pedidos sob encomenda.

Você pode escolher a cor e o tamanho dos seios. Também pode escolher se quer o par, apenas uma unidade ou a quantidade que preferir. Além disso, também personalizo as mamas com o tipo de mamilo de sua preferência: normal, plano, comprido ou invertido. 

Faça seu pedido através do link abaixo:

quarta-feira, 11 de julho de 2018

,
Livro Digital Biografia Frida Kahlo e-book Amazon
Livro Frida, a biografia em versão e-book e no meu inseparável Kindle.

Eu sei que resenha literária é um tipo de post que destoa um pouco dos textos habituais do blog. Porém, o assunto do livro sobre o qual eu vou falar hoje tem tudo a ver com Moda, pois trata-se da biografia de Frida Kahlo. E, como todo mundo sabe, além de uma mulher e artista extraordinária, Frida também se tornou um dos maiores ícones da história da Moda, devido ao seu estilo único e extravagante.

Eu sempre fui uma grande admiradora da Frida, por sua história de vida, por sua força, e também pelo seu estilo. Inclusive já fiz um post aqui no blog falando sobre seus famosos trajes tehuanos e mostrando uma customização que fiz inspirada neles.


Biografia completa e detalhada

Há muito tempo, eu tinha vontade de ler sua biografia para conhecer mais a fundo como foi realmente a sua vida, o seu dia a dia. Então, no ano passado, eu resolvi finalmente comprar o livro da escritora Hayden Herrera, que se mostrou o mais completo sobre a vida da pintora.

Herrera, que também é historiadora da arte, fez um excelente trabalho de pesquisa para remontar a vida de Kahlo, reunindo diversos depoimentos de pessoas que conviveram de perto com a pintora, além de cartas de seus amantes, fotos, trechos de seu diário e também descrições e interpretações de seus quadros. O que nos permite o acesso a diversas visões diferentes de quem foi Frida.

Por vezes, a riqueza de detalhes da obra acaba deixando a leitura um pouco massante devido ao excesso de informações, nem sempre relevantes. Foi bem cansativo, por exemplo, a autora citar os nomes de todos os ilustres da época presentes na exposição de Frida em Nova York. Mas, de forma geral, a profunda pesquisa da autora só tem a contribuir para uma aproximação do leitor com o universo da artista.

Cada relato é muito revelador, mas o que eu mais gostei neste livro foi poder ler diversos textos escritos pela própria Frida. Até então, eu só havia lido coisas que outras pessoas haviam escrito sobre ela. Mas ler o que ela mesma escreveu sobre si, sobre seus sentimentos, sobre sua vida é completamente diferente.

Desde cartas que ela endereçou a amigos e amantes, passando por poemas e terminando em desabafos íntimos em seu diário, esta biografia me permitiu uma nova compreensão de quem foi Frida. Eu me senti próxima dela. E pude enxergar melhor a mulher, o ser humano por trás do mito, com suas inseguranças, seus medos, suas contrariedades, sua vulnerabilidade.


Passagens mais marcantes

Apesar de ter comprado o livro no ano passado, eu comecei a lê-lo somente este ano, em fevereiro, se não me engano. Depois, fiquei uns 2 meses sem tempo para ler, mas retomei há cerca de 1 mês e finalizei na semana passada. Pois é, minhas leituras são sempre arrastadas por causa da falta de tempo, ainda mais quando trata-se de um livro de mais de 600 páginas...

Mas acho que não foi por acaso o fato de eu terminar esta leitura somente agora. Julho é um mês marcante na história de Frida Kahlo, pois abriga tanto o seu aniversário de nascimento (06/07/1906) como o de falecimento (13/07/1954).

Todos sabemos que Frida teve uma vida de muito sofrimento. O acidente de bonde que ela sofreu aos 18 anos é um fato conhecido para a maioria das pessoas. Porém, uma coisa é ter ouvido falar vagamente sobre o assunto, como era o meu caso, outra é ler o relato detalhado de uma pessoa que estava ao seu lado quando tudo aconteceu.

Alejandro Gomez Arias, seu primeiro namorado, descreveu o estado de Frida durante e imediatamente após o acidente de uma forma tão detalhada, realista e comovida que você fica em choque, como se a cena estivesse se passando na sua frente.

Este momento, juntamente com os relatos sobre os últimos anos da vida de Frida foram os mais marcantes do livro para mim. Os amigos contando como a personalidade dela mudou após a amputação da sua perna direita, o vício em remédios e álcool, os acessos de ira, a fuga desesperada da solidão... tudo isso é de uma tristeza muito grande...

Da mesma forma, a descrição de como foram seus últimos dias e de acontecimentos inesperados durante seu funeral são chocantes.


Coisas que me surpreenderam

Ao ler esta biografia, eu descobri muitas coisas sobre Frida que eu desconhecia, e algumas me surpreenderam. Eu não sabia, por exemplo, que ela era tão obcecada assim por Diego a ponto de suportar tantas traições (muitas mesmo), tratá-lo como um filho (literalmente), ferir o próprio corpo na tentativa de atingir o marido de alguma forma e, inclusive, usar seus problemas de saúde para prendê-lo.

Sem dúvida foi um amor doentio, mas verdadeiro. Muito do que Frida fazia era por causa de ou para Diego Rivera. E ela assumia isso, para os outros e para si mesma. Até mesmo os famosos trajes tehuanos, que se tornaram sua marca registrada, eram usados, em parte, porque Diego gostava de vê-la vestida daquela forma.

A obsessão de Frida pelo próprio sofrimento também foi um fato novo para mim. Ela tinha prazer em mostrar suas feridas para os amigos e buscava fazer novas cirurgias, por vezes desnecessárias, como forma de, aparentemente, chamar a atenção dos seus.


Vale muito a pena ler

Mas, apesar de todas as contrariedades da artista, que era humana como todos nós, o que fica ao final da leitura é uma admiração ainda maior por esta mulher que lutou durante toda a vida e superou tragédias pessoais tão grandes com uma sensibilidade ímpar transformando dor em arte.

Eu não tenho a intenção de, com este texto, esgotar tudo o que contém nesta biografia. Nem de longe. O que eu quero mesmo é dizer que este livro é uma leitura obrigatória para todos que admiram Frida Kahlo. Vale muito, muito a pena ler.


Livro em versão física ou e-book Amazon

Lançada em 1983, a biografia escrita por Hayden Herrera pode ser encontrada tanto na versão física quanto digital. Eu escolhi esta última porque tenho um Kindle, que eu amo muito pela enorme praticidade que ele proporciona e também porque já estou completamente adaptada a ler livros no formato digital.

No caso deste livro especificamente, o fato de o Kindle não oferecer imagens a cores é um demérito. Seria melhor poder ver todas as inconfundíveis tonalidades dos quadros de Frida. Porém, não é nada que um smartphone à mão e acesso à internet enquanto se lê o livro não resolvam.

Mas, através do link abaixo, você pode escolher qual versão prefere. Seja e-book ou livro convencional, comprando através deste link, você estará ajudando esta blogueira que escreveu este texto sincero e do fundo do coração. ❤

quinta-feira, 5 de julho de 2018

,
Transformar roupas sempre foi uma das coisas que eu mais amo fazer. Pegar uma peça que estava esquecida no guarda-roupa e dar a ela uma cara nova é algo que me traz muita satisfação. Só que, ultimamente, eu não tenho conseguido fazer isso. E não é por falta de vítimas roupas na fila de espera por mudanças, mas por falta de tempo mesmo.

Administrar uma loja virtual é bem trabalhoso, ainda mais quando se vende produtos artesanais, que levam tempo para serem confeccionados e você faz tudo sozinha. Eu acho até engraçado quando as pessoas dizem que eu tenho que usar minhas peças de crochê para que eu mesma seja a garota propaganda da loja. Hahahaha, se eu não tenho conseguido nem costurar, que é um processo mais rápido, que dirá crochetar peças para mim... 

Mas, enquanto eu não crio um tempo para voltar às minhas costurices das quais eu tanto sinto falta, eu trouxe para o post de hoje uma transformação que fiz em 2016. É...já tem um tempinho, e eu estou de postá-la aqui já tem um tempão também. E hoje chegou a vez dela, ou dele, já que trata-se de uma blusa que eu transformei em cropped.

Customização Crochê Blusa CeA Cropped Vermelho
Antes e Depois da Blusa que virou Cropped. Infelizmente, só tenho esta foto de como ela era antes.


Há um tempo atrás, eu comprei uma blusa básica vermelha de manga longa na CeA da qual eu gostei muito. Porém, tinham 2 coisas nela que sempre me incomodaram: o decote V e a renda na barra. A verdade é que eu nunca fui muito fã deste tipo de decote. Mas, eu tenho uma vozinha aqui dentro da minha cabeça que, quando eu vou comprar roupas, ela começa: "você só compra o mesmo tipo de roupa, escolhe alguma coisa diferente para variar, abre a cabeça, não seja bitolada..." E por aí vai...

E eu costumo dar ouvidos a esta voz do além, rs. Não sei para quê. Depois a roupa fica encostada lá no armário exatamente por não ser do jeito que eu gosto. E este foi o caso desta blusa porque, além da questão do decote, tinha também a renda na barra que, apesar de linda, ficava enrolando o tempo todo e fazia a blusa subir. A danada não parava sobre o cós da calça de jeito nenhum.

Mas eu queria muito conseguir usar essa blusa porque gostei da cor, do material, da manga justinha...Então, eu fiquei matutando uma forma de modificá-la para que eu finalmente pudesse usá-la sem incômodos.


Como eu modifiquei a peça

Até que, um belo dia, me veio a ideia de preencher o decote dela com crochê. E eu tinha uma linha vermelha encostada aqui em casa há anos, exatamente no mesmo tom da blusa, e que eu poderia usar. Já o problema da barra, eu decidi resolvê-lo transformando a blusa em cropped, que é um tipo de peça que eu amo.

Customização Crochê Blusa CeA Cropped Vermelho

Então, definida a ideia, eu comecei as alterações. Para fazer o crochê, primeiro, eu fiz um ponto de acabamento em volta de todo o decote até a altura da costura do ombro. Depois eu fui crochetando de baixo para cima com pontos que eu fui inventando na hora. Não segui nenhum gráfico, este foi um trabalho bem espontâneo mesmo.

Customização Crochê Blusa CeA Cropped Vermelho

Depois de resolvida a parte mais difícil, era hora de solucionar o problema da barra. E, para isso, primeiro, eu descosturei a renda. Depois, eu cortei uma parte do comprimento. Não muito, pois eu queria fazer a barra do cropped larga e dobrada para ficar com um acabamento legal.

Customização Crochê Blusa CeA Cropped Vermelho
Detalhe dos pontos no decote. Amei muito!

Após cortar no tamanho certo, eu apertei um pouco nas laterais para ficar mais justinho. E, por último, depois de fazer a bainha, eu costurei a renda por cima e... voilà! Ficou perfeito, exatamente do jeito que eu queria! Eu simplesmente amei o resultado! ❤

Eu e minha peça repaginada. ❤
Neste dia, eu tinha ido assistir ao filme da Mulher Maravilha.


Após a transformação, esta peça passou de encostada no armário para uma das minhas roupas preferidas! Eu AMO croppeds e peças de cintura alta. Então, eu ainda vou usar muuuito ele.

"A gente não precisa de roupas novas, a gente precisa de um novo olhar."

Esta frase é o lema do Roupa Livre, um movimento muito bacana que desenvolve e estimula soluções para a redução do consumo de roupas. Eu me identifico muito com o trabalho deles e sempre busquei aplicar esta filosofia na minha vida, mesmo muito antes de conhecer o coletivo.

Agora me diz você, o que achou desta customização?
Se animou para dar uma nova chance àquela peça sua que tá lá encostada no fundo do guarda-roupa?

Eu espero, de verdade, que este post inspire você e muitas outras pessoas a reolharem, reformarem, transformarem roupas que vocês já têm em casa em peças lindas, repaginadas e que voltarão a fazer parte da vida de vocês.

Leia também: Camiseta básica de cara nova com customização inspirada no Egito

quarta-feira, 27 de junho de 2018

,
Filme Irreplaceable You Netflix
Sam (Michiel Huisman) e Abbie (Gugu Mbatha-Raw) no cartaz do filme.
Imagem: uk.newonnetflix.info

Já tinha um tempinho que não pintava um post sobre cinema aqui no blog, né?! Mas, há umas 2 semanas atrás, eu assisti a um filme na Netflix que me deu muita vontade de escrever sobre. Isso porque a produção em questão aborda o crochê em cena com uma certa ênfase. E como é raro um filme falar sobre o nosso amado crochê, eu quis trazê-lo para cá e dividir com vocês quais foram as minhas impressões sobre o que eu assisti.

O filme em questão se chama Irreplaceable You, no título original. Já a versão em português foi traduzida como Perfeita para você. A trama gira em torno de um jovem casal que se conhece desde a infância. Muito apaixonados, Abbie e Sam se encontram planejando o casamento e na expectativa da chegada de um possível herdeiro quando descobrem que, na verdade, Abbie não está grávida, e sim com um tumor raro na região do abdômen.

A notícia do câncer, claro, muda radicalmente a vida do casal. Sem chão após receber o diagnóstico, Abbie começa o seu tratamento. Com muitas inseguranças em relação ao futuro, se irá sobreviver ou não e se Sam ficará bem sem ela, Abbie decide iniciar uma busca por uma nova parceira para o noivo caso ela não sobreviva.

O grupo de apoio

Em meio a tudo isso, entre uma sessão de quimioterapia e outra, Abbie resolve conhecer um grupo de apoio formado por pessoas que têm câncer, assim como ela, e que se reúnem para conversar sobre a vida e fazer crochê.

Crochê Terapia Filme Irreplaceable You Netflix
O exótico grupo de crochê.

Durante a maior parte do tempo, as conversas do grupo são um tanto estranhas, pois seus integrantes falam de uma forma muito direta sobre temas como morte ou sexo mesmo não tendo muita intimidade entre si, o que gera um clima um tanto constrangedor durante as sessões.

Dentro do grupo, há também o necessário debate sobre como encarar a doença: de forma positiva ou negativa? E a personagem Kate, vivida pela atriz de mesmo nome (Kate McKinnon), claramente representa aqueles que decidem enxergar a adversidade pelo viés positivo. O que a faz travar constantes embates com os membros mais pessimistas do grupo.

Casaco de Crochê Terapia Filme Irreplaceable You Netflix
Kate (Kate McKinnon), integrante do grupo de apoio que tenta encarar a doença da forma mais positiva possível.
Fazendo crochê e usando também um casaco handmade. ❤ 


Já a protagonista Abbie tende a encarar a doença de forma negativa. Afinal, ela tinha uma vida "perfeita", com um futuro projetado à altura e que mudou radicalmente com a descoberta do câncer. Tendo entrado no grupo movida apenas por tédio misturado com curiosidade e bastante descrente em relação à real utilidade das reuniões, Abbie chega a se referir ao crochê como hobby inútil. Acrescenta ainda que não gosta de conversar e não tem tempo para essas coisas.

Ela só continua participando do grupo devido à insistência de Myron, um dos frequentadores, também com câncer em estágio avançado e vivido pelo excelente Christopher Walken. Rapidamente, surge uma bela e inusitada amizade entre eles.

Crochê Terapia Filme Irreplaceable You Netflix
Myron (Christopher Walken) e Abbie (Gugu Mbatha-Raw) durante uma sessão do grupo de apoio.

Debochando do crochê como método terapêutico e repetindo que o mesmo não era uma metáfora para a cura, Abbie segue muito fechada durante todas as sessões, falando muito pouco sobre si.

Crochê Terapia Filme Irreplaceable You Netflix
Parece até eu quando faço e desmancho MIL VEZES a mesma peça até ficar do jeito que eu quero. Hahahaha
Mas, ao fim do filme, ela reconhece que, sim, o crochê é uma metáfora sobre a vida, pois ambos são difíceis.

Crochê Terapia Filme Irreplaceable You Netflix

Crochê Terapia Filme Irreplaceable You Netflix

Vou ter que discordar da Abbie. Não, crochê não é difícil. É fácil, e muito gostoso de fazer! Discordo um pouco também da forma como o mesmo foi apresentado no filme.

Claro que o crochê não era o foco central da história, mas apenas um recurso usado na narrativa para que a personagem se confrontasse com sua nova realidade de paciente de câncer e vencesse suas próprias resistências e conflitos ao conviver com as pessoas que ela conheceu no grupo e os novos pontos de vistas que elas lhe mostraram.

Porém, já são bastante conhecidos os benefícios do crochê como terapia, onde a técnica atua de forma positiva no tratamento de vários problemas como tensão, ansiedade e até mesmo depressão. E o filme o abordou de uma maneira muito superficial.

Eu gostaria de ter visto a Abbie se abrindo para o crochê, aprendendo realmente a técnica, levando-a pra sua vida. Queria que o filme mostrasse a evolução dela, confeccionando peças para si, para o marido... E que isso tudo caminhasse junto com o seu amadurecimento emocional. Mas não foi o que aconteceu. Uma pena.

Porém, ainda assim, valeu a pena ver o crochê retratado no cinema. E também vale a pena assistir ao filme em si, claro. A história é triste? Sim. Mas é contada de forma leve, tocante na medida certa e faz a gente refletir bastante.

E você, já assistiu? O que achou da história? Conta para mim.

Se ainda não viu, eu deixo aqui o trailer para você se animar.


Fonte das imagens: Reprodução netflix.com

quarta-feira, 20 de junho de 2018

,
Eu sempre achei lindo gorro estilo beanie, aquele que fica frouxinho na parte de trás da cabeça. E acho ainda mais bonito quando usado por homens. Claro que não existe mais esta coisa de "essa peça é para mulher, aquela é para homem"... Muito menos quando se trata de acessórios. Mas, é fato! Os boys vestem muito melhor este tipo de touca

A palavra beanie, em inglês, tem como significado gorro ou touca. Mas, pelo menos por aqui, este termo costuma ser usado para se referir apenas ao estilo de touca caidinha, e não a todos os gorros, de maneira geral. A razão para isso é desconhecida.

Eu gosto do gorro beanie em qualquer material. Seja em malha, ou linha. Feito à máquina ou à mão. Mas, eu sempre quis confeccioná-lo em crochê. Claro! E há muito tempo eu vinha tentando acertar o formato deste tipo de gorro. Na verdade, eu cheguei a fazer um no ano passado para um amigo. Até mostrei aqui. Porém, eu sentia que o feitio da touca poderia ficar melhor.

Há diversos posts no Pinterest prometendo receitas e tutoriais, mas eu não achei nenhum que realmente desse certo e chegasse ao formato que eu queria. Então, por conta própria, e depois de muito faz e desmancha, eu finalmente cheguei ao formato de gorro beanie que eu queria. Este aqui.

Gorro Touca Beanie Masculino Crochê Vestimentarte
Gorro Beanie Masculino de Crochê. Design exclusivo, com receita criada por mim. 
Modelo na foto: meu irmão lindo. ❤
Eu queria exatamente este feitio: soltinho, mas não muito, e sem ser redondo no fundo. Acho mais bonito assim. Este gorro, desenvolvido com muita dedicação e carinho, já está à venda na loja nas cores bege e cinza.

O gorro bege é feito em lã leve 100% acrílico e o cinza em linha 100% algodão. Ambos materiais que aquecem na medida certa, perfeitos para o inverno brasileiro.

Gorro Touca Beanie Masculino Crochê Vestimentarte
Gorro disponível a PRONTA ENTREGA nas cores bege e cinza.
Outras cores sob encomenda.

Acesse os links abaixo para conferir mais detalhes deste gorro que é uma das peças-chave do inverno e garante aquela dose de estilo ao look