sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019


A edição deste ano da Rio Artes Manuais está chegando. O maior evento do estado voltado ao universo craft acontece nos próximos dias 20 a 24 de março no Centro de Convenções SulAmérica, na região central da cidade.

Com a proximidade desta nova edição, foi impossível não lembrar que, no ano passado, eu fui à Rio Artes Manuais pela primeira vez (contei como foi aqui neste outro post) e, lá no evento, eu aproveitei para tirar a minha carteira de artesã.

Na época, eu prometi contar os detalhes de todo o processo para tirar a carteira, desde o cadastro, passando pela prova de habilidade manual, até o recebimento do documento em si. Então, aproveito este aniversário de 1 ano para finalmente fazer isso.

Bom, contando a história desde o início, eu só descobri que existia um documento oficializando a profissão de artesão aqui no Brasil depois que li este post do blog da Círculo. Até então, eu não fazia ideia de que existia uma Carteira Nacional de Artesão e fiquei feliz com a possibilidade de ter o meu trabalho artesanal reconhecido oficialmente.

Um pouco depois disso, eu comecei a ver pelas redes sociais a divulgação da edição 2018 da Rio Artes Manuais e fiquei com vontade de conhecer a feira, pois nunca tinha ido. E, mais tarde, quando soube que durante o evento, haveria o cadastramento para tirar a carteira de artesão, fiquei ainda mais animada para ir.


Como se cadastrar?

O cadastro no SICAB (Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro) é feito pelas Coordenações Estaduais de Artesanato de forma totalmente gratuita. Até um tempo atrás, o site do Ministério da Cultura tinha uma página onde era possível encontrar o endereço da Coordenação de cada estado, mas a página foi removida.

Então, recomendo que você se informe junto à secretaria de cultura ou turismo do seu estado para descobrir em que local pode ser feito o cadastro na sua região. No caso do Rio, o cadastro é feito pelo Programa de Artesanato do Estado, vinculado à Secretaria de Turismo. O pessoal é muito simpático e prestativo, sempre me atenderam super bem. Seguem abaixo o endereço e contatos do programa:

Rua Uruguaiana, 118 / 3° andar - Centro - RJ
Tel.: (21) 3803-9400
e-mail: artesanatomovimentorj@gmail.com

As Coordenações também costumam oferecer o serviço de cadastramento fora de suas sedes, em ações itinerantes que percorrem periodicamente as cidades do estado. Eu, inclusive, não fiz o meu cadastro na sede da Coordenação, como eu citei no início do post, eu me cadastrei durante a Rio Artes Manuais do ano passado.

E, neste caso específico, o Programa de Artesanato aqui do Rio, costuma abrir um formulário no site deles para que os artesãos agendem o dia em que irão comparecer ao evento e se cadastrar.


Quais os documentos necessários?

Para o cadastramento, é necessário que você leve os seguintes documentos (original e cópia):
  1. Foto 3x4 recente;
  2. Comprovante de residência;
  3. CPF;
  4. RG;

Também é preciso levar algumas peças prontas, em até 3 técnicas diferentes. Muita gente fica em dúvida quanto a isso. O que eles querem dizer não é que você precise saber 3 técnicas diferentes para ser considerado artesão, basta que você domine apenas uma. Mas, se você souber mais, o limite para o cadastro são 3.

Além das peças prontas, leve também uma inacabada para finalizar lá na hora na frente dos avaliadores, provando assim o seu domínio da técnica.


Como foi a minha Prova de Técnica Manual?

Eu lembro que fiquei um pouco apreensiva sobre como seria a prova, mas foi super tranquilo. E rápido também. Como lá na Rio Artes são muitos artesãos a serem cadastrados por dia, os avaliadores precisam ser bem rápidos para atender a todos. Então, na minha vez, eu fiz só alguns segundos de crochê na frente da banca.

Mas, peças prontas, eu lembro que levei várias (a exagerada, rs). Foram umas 3 de crochê, umas 2 de bordado e várias bijus, feitas de materiais alternativos / reutilizados. Como eu trabalho com diferentes técnicas, quis que no meu cadastro de artesã constasse o máximo possível.

Porém, na carteira, acabaram sendo listadas somente duas: o bordado e o crochê. A equipe foi mais minuciosa na listagem da matérias-primas utilizadas. Veja como ficou na foto do verso da carteira:

Informações no verso da carteira.

Artesão X Trabalhador Manual

A questão de qual técnica é considerada trabalho artesanal ou não costuma gerar muita polêmica entre as artesãs porque nem tudo a que nos referimos normalmente como artesanato é considerado tal pelas Coordenações Estaduais, que seguem as diretrizes do Programa do Artesanato Brasileiro.

A confecção de peças em feltro ou EVA, costura, e também trabalhos como scrapbook e chinelos decorados, por exemplo, não são considerados artesanato. Sim, eu também fiquei surpresa quando descobri.

Por isso, curiosa em entender o porquê, eu resolvi ler o texto da Portaria 1007- SEI de 2018, que dispõe sobre a Base Conceitual do Artesanato Brasileiro para descobrir. Se você tiver interesse, também pode baixar o arquivo na página do PAB. O endereço está no link logo acima.

Segundo a Base Conceitual, somente é considerado artesanato o trabalho manual que opera a transformação da matéria-prima em produto acabado, e que expresse criatividade, identidade cultural, habilidade e qualidade. E só é considerado artesão aquela pessoa cujo ofício é predominantemente manual e que tem domínio integral de processos e técnicas.

É uma questão um pouco sutil realmente, mas a ideia principal seguida pelo PAB é a de que para ser considerado artesanato o produto precisa ser fruto direto da destreza manual do artesão que, durante o processo de criação e produção, de forma natural, passa para a peça produzida a sua própria personalidade e identidade cultural.

Quem trabalha com técnicas que não são consideradas artesanato pelo Programa, é considerado Trabalhador Manual e não Artesão.


Quanto tempo leva pra Carteira ficar pronta? 

Bom, como normalmente os cadastros de novos artesãos são feitos em massa, de forma coletiva, o processo de emissão das carteiras é um pouco demorado. São muitos documentos e fotos para serem escaneados, muitos dados para lançar no sistema... Então, leva um tempinho mesmo.

Eu me cadastrei em março de 2018, na Rio Artes, e peguei a carteira pronta na sede da Coordenação em outubro do mesmo ano. Pode ser que tenha ficado pronta antes, mas eu só tive disponibilidade para ir buscar nessa época.

A Coordenação aqui do Rio costuma entregar as carteiras já prontas durante suas ações itinerantes pelas cidades do estado. Mas, como não havia previsão deles virem até Caxias, eu preferi ir buscar a minha.

A carteira é feita em material plástico, tipo os de cartões de banco. O tamanho também é parecido. E a nossa foto e assinatura são escaneadas e impressas nela. A minha foi emitida com validade de 4 anos.


Quais os benefícios de ter a Carteira Nacional de Artesão?

Esta é a pergunta que ronda a cabeça de todas as artesãs, tanto as que ainda não tiraram a carteira quanto as que já a tem. Afinal, quais são os benefícios de ser cadastrada no SICAB?

Procurando nos canais oficiais do governo federal relacionados ao artesanato, eu não encontrei nada de muito concreto a ser proporcionado aos artesãos após o cadastro. Somente aquelas informações genéricas de que o SICAB existe para fomentar a atividade artesanal no Brasil, através de ações de capacitação, apoio a feiras de comercialização, etc.

Mas, em alguns sites relacionados a artesanato, é possível encontrar a seguinte relação de benefícios de se ter a Carteira de Artesão:
  • Isenção do ICMS dentro do Estado;
  • Ser contribuinte autônomo/artesão para fins previdenciários;
  • Acesso as Feiras do Programa do Artesanato Brasileiro (PAB);
  • Possibilidade de participação em oficinas e cursos de artesanato;
  • Acesso a incentivos fiscais (benefício dado somente em alguns estados);
  • Facilidade de acesso ao microcrédito (empréstimo de pequeno valor a microempreendedores formais e informais);
  • Acesso à nota fiscal avulsa de Emissão Eletrônica (e-NFA).
       (Fontes: circulo.com.br / glaubermoraes.com.br)

Bom, eu já contribuía para a Previdência como MEI antes de ter a carteira e, pelo menos por enquanto, participar de feiras não é o meu foco, prefiro continuar vendendo somente online mesmo. Mas pretendo correr atrás para saber sobre a emissão de NF avulsa, isenção de ICMS e o acesso a cursos também.

Neste quase 1 ano que tenho a carteira, o que eu realmente usufruo é dos descontos da Caçula. A loja oferece a possibilidade das artesãs comprarem com preço de atacado e isso tem dado uma força na hora que preciso repor os estoques de materiais. Um descontinho é sempre bom, né?!

Para ter acesso a esta facilidade, é preciso realizar o cadastro numa das lojas da Caçula levando a sua carteira de artesã, a de identidade e também o seu CPF, que deve ser sempre informado na hora da compra.

Mas, de verdade, independente de ter ou não alguma vantagem com a carteira, eu me sinto feliz em ter o meu domínio de técnicas artesanais reconhecido de forma oficial. E o Programa do Artesanato Brasileiro pode ter as suas deficiências, mas o cadastro nacional dos artesãos já é um primeiro passo para a formalização e valorização deste ofício tão menosprezado ao longo da história do país.

Bem, esta foi a minha experiência para tirar a carteira de artesã, e também a minha experiência de 1 ano como cadastrada. Espero que o meu relato te ajude de alguma forma. E, se você teve acesso a alguma informação sobre a carteira que não consta aqui, por favor, contribua com a melhoria do post. Obrigada pela visita!

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Consertando sola tênis slipper

Eu tenho este slipper floral há muito tempo, mas, nos últimos anos, usei bem pouco. Recentemente, eu resolvi tirá-los da sapateira para dar uma ida rápida aos Correios e resolver outras coisinhas na rua. E eis que, não muito tempo depois de eu descer do ônibus, os solados DOS DOIS PÉS descolaram INTEIROS no meio da rua!

Consertando sola tênis slipper
Depois de um longo período guardado, o solado do tênis simplesmente se soltou inteiro
quando eu estava no meio da rua.
Eu fiquei sem saber o que fazer e sem poder tirar os dois pés do chão. Foi uma situação bem surreal... Ainda bem que o ponto final do ônibus fica não muito longe de uma loja de sapatos. Então, eu fui arrastando os pés até lá e comprei um chinelo para usar.

Coloquei o tênis num saquinho plástico, pus na bolsa e fui resolver minhas coisas. E claro que eu não o joguei fora depois. Porque eu não me dou por vencida assim tão fácil, rs. Eu o guardei para poder dar um jeito de consertá-lo quando tivesse tempo. E é exatamente o conserto dele que eu vou mostrar no post de hoje.

Consertando sola tênis slipper
Materiais usados: cola instantânea, linha de nylon, agulha de tapeçaria e tesoura.

Para prender o solado de volta, eu usei esta cola instantânea Tek Bond que cola até metal. Eu a uso para fazer minhas bijus. Mas, mesmo sabendo que ela é boa, eu preferi também costurar o solado com linha de nylon, só para garantir. Afinal, o tênis veio de fábrica com a sola apenas colada e soltou...

Consertando sola tênis slipper
Terminando de descascar o material da borda do tênis, que vinha se esfarelando sozinho há um tempo.
Mas, antes de consertar o maior problema, que era o solado, eu terminei de descascar o courinho da borda, que estava todo craquelado e soltando pedacinhos. Aliás, este material, muito usado também em bolsas, sempre estraga muito rápido. Os outros dois consertos de sapatos que já mostrei aqui no blog também foram por causa dele. Olha só:


Consertando sola tênis slipper

Agora sim, aplicando bastante cola no solado para prender novamente o corpo do tênis no lugar.

Consertando sola tênis slipper

Fui aplicando a cola no fundo e nas bordas internas do solado e pressionando a parte de tecido por cima para fixar bem.

Consertando sola tênis slipper

Depois, para reforçar, eu vim costurando toda a lateral do solado na parte de tecido com linha de nylon dupla. Como a borracha da sola é um material grosso para perfurar, eu usei um dos meus alicates de bijuteria para ir enfiando e puxando a agulha de tapeçaria com mais facilidade. 

Consertando sola tênis slipper

Após costurar o solado, foi hora de ir pra parte final do conserto, pintando a borda, agora totalmente descascada, com tinta de tecido preta.

Consertando sola tênis slipper

E este é o resultado final. Sola no seu devido lugar novamente. Os pontos com linha de nylon ficaram bem discretos por ser um material transparente. Mas, sim, o tênis continuou com cara de batidinho. Porém, o mais importante é que ele vai durar mais um bom tempo.

Ainda quero usar muito este tênis porque ele é super confortável, prático e fácil de combinar. Para mulheres como eu, que não gostam de salto alto e também não curtem muito calçado aberto, como sandálias rasteirinhas (nem mesmo no verão), este tipo de tênis é uma excelente opção.

Mais uma peça que recebeu uma nova chance e que continuará sendo útil. 

Dê você também uma nova chance para aquele seu calçado ou roupa que está aí encostado e já na fila das coisas que vão pro lixo. Seu bolso e seu planeta agradecem! :)

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Tiara Sereia Conchas Pérolas
Modelos Exclusivos de Tiaras de Sereia.
Para quem acompanha o blog, já não é nenhum segredo que eu simplesmente me apaixonei pelo sereismo. Desde que decidi pesquisar mais a fundo a respeito das pessoas que o adotaram como estilo de vida e escrevi este post, eu me encantei por toda a estética deste universo, que é muito rica e oferece muitas possibilidades de criação. Por isso, desde então, naturalmente, eu estou sempre criando algum novo produto handmade pensando nas sereias modernas.

Começou com o Cropped Sereia de Crochê, que eu lancei lá no início de 2017 e até hoje é um sucesso.  Depois, eu vim criando variações dele e também outros modelos de cropped inspirados no sereismo. Além de bijus, como brincos, colares, chockers... E, agora, especialmente pro carnaval, eu estou confeccionando também Tiaras de Conchas para completar a sua fantasia de sereia. Quem acompanha as redes sociais da loja já estava sabendo, mas faltava contar esta novidade aqui no blog também.

Tiara Sereia Conchas Pérolas
Primeira Tiara de Sereia que fiz e que foi rapidamente arrematada por uma sereia da Bahia ainda em janeiro.
Além de ter adotado a estética do sereismo na minha vida de designer, eu sempre gostei muito de conchas. Desde pequena, eu sempre me senti atraída por elas. E até hoje, toda vez que vou à praia, fico tentando encontrar alguma para trazer para casa. Então, criar e confeccionar estas tiaras foi um enorme prazer. Também foi legal relembrar o tempo em que eu trabalhava com figurino e confeccionava adereços pros personagens usarem em cena.

Tiara Sereia Conchas Pérolas
Segunda Tiara de Sereia, em estilo totalmente diferente da primeira. Esta, em pouco tempo, foi logo adquirida
por uma sereia carioca, que também comprou um Cropped Sereia Franjas na loja.

E o mais mágico de criar adereços de forma livre é que eles vão nascendo ali na hora e nenhum fica exatamente igual ao outro. Eu fiz 4 tiaras de sereia. E cada uma delas é única, diferente das outras.

Tiara Sereia Conchas Pérolas
Esta, a terceira, ficou bem tropical com estas conchas lindas em tons de coral.
E também sumiu do site em poucos dias.

 Elas venderam super rápido na loja, por isso, agora, só tem a quarta tiara, esta abaixo, disponível.

Tiara Sereia Conchas Pérolas
A quarta Tiara da coleção eu fiz propositalmente mais enxutinha, com menos conchas. Mas, nem por isso,
menos linda. Corre lá no site que ela ainda está disponível!
Para adquirir esta belezura, a única ainda DISPONÍVEL, é só acessar um dos links abaixo:

sexta-feira, 25 de janeiro de 2019


No ano passado, eu fiz uma troca que eu queria realizar há muito tempo na minha rotina de cuidados pessoais: eu parei de usar desodorante. Sim, isso mesmo. Eu não uso mais desodorantes, mas quando digo isso, me refiro aos antitranspirantes convencionais.

Eu nunca gostei da ideia de usar diariamente um produto que impede que meu corpo faça algo que ele é programado para fazer, que é suar, transpirar. Impedir isso é algo antinatural e não pode fazer bem.

Além de, pessoalmente, eu sempre ter achado os desodorantes antitranspirantes uma violência contra o meu corpo, há também a questão dele possuir em sua composição componentes químicos prejudiciais à saúde. Dentre eles, o alumínio que, aplicado diretamente sobre a pele, entra na corrente sanguínea e vem sendo relacionado por diversas pesquisas pelo mundo ao aumento dos casos de câncer de mama.

Embora, até o momento, essas pesquisas não sejam conclusivas, eu acredito que as duas coisas tenham sim alguma relação. Pois, o número de casos de câncer de mama deu um salto significativo nos últimos 20 anos, mais ou menos, e só faz crescer a cada ano. Isso com certeza deve estar relacionado a algo presente na rotina moderna da maioria das mulheres, como o desodorante antitranspirante, que é aplicado nas axilas, bem ao lado dos seios, impedindo que as glândulas sudoríparas desta região façam o seu trabalho, que é transpirar.

E eu ponho a culpa nos antitranspirantes baseada na minha experiência pessoal também. Quando eu era mais nova, eu só usava desodorante roll on. Não gostava daqueles sprays que a gente tinha que apertar o frasco para aplicar e aquilo escorria axilas abaixo. Aerosol é coisa recente.

Então, eu usava roll on feliz da vida. Até que, após alguns anos de uso contínuo, eu passei a notar que, de tempos em tempos, surgiam alguns nódulos nas minhas axilas. Eles duravam alguns dias e depois sumiam. Mas, mesmo assim, isso me assustou.

Então, eu decidi parar de usar desodorante roll on. Nesta época, estavam surgindo os primeiros aerossóis e eu passei a usar estes e não tive mais nódulos. Porém, continuava sendo antitranspirante, o que não era o ideal. Por isso, já há um bom tempo, eu vinha reduzindo o meu uso de desodorante.

Como eu tenho trabalhado por conta própria nos últimos tempos, eu passo a maior parte dos dias em casa. E, depois que entrei nesta rotina, eu adquiri o hábito de não passar desodorante nos dias em que eu não fosse sair. Mas, claro, isso só era possível nos dias mais friozinhos, não em pleno verão carioca como estamos agora. Se não, o cecê batia forte.

Parar completamente de usar desodorante não é uma alternativa viável para quem mora num país tropical como o Brasil e muito menos para quem mora no Rio. Por isso, eu decidi procurar alguma alternativa natural. Foi aí que eu cheguei ao desodorante de leite de magnésia, sobre o qual, na verdade, eu já tinha ouvido falar, mas me faltava a disposição para testar, pois eu achava que seria complicado fazer.

Até que eu encontrei este post do blog Menos 1 Lixo onde a Fe Cortez contou a experiência dela com o desodorante de leite de magnésia ensinado pela Bela Gil. Acesse o vídeo completo da receita aqui. Depois disso, eu me animei e comprei um frasco pequeno de leite de magnésia para testar. Este pequeno da foto abaixo, o primeiro que eu usei.

O que precisa para fazer?

É super fácil fazer este desodorante. E também é muito econômico. Você só precisa de:

  • Leite de magnésia 
  • Água 
  • Óleo essencial (opcional) 
  • Um frasco com saída spray.


O meu frasco eu reutilizei de um óleo para cabelo que comprei há muito tempo atrás e guardei. Mas dá para encontrar facilmente em lojas de 1,99 ou no Empório das Essências aqui no Rio, por exemplo.

O leite de magnésia também é fácil de achar em qualquer drogaria. E o preço é bem acessível. No frasco pequeno, de 120 ml, eu paguei uns R$9 na época. E no grande, depois, uns R$15 numa drogaria aqui de Caxias. Você também pode comprar online no site da Droga Raia.


Como fazer


Eu costumo fazer com esta proporção: preencho um pouco mais da metade do frasco com o leite e depois completo com água, agito e está pronto. A Bela Gil faz com um pouco menos de água. Mas, para mim, tem funcionado bem assim. A axila não fica branca após a aplicação e também não tenho cecê.

Como a receita original sugere acrescentar algum óleo essencial para dar um cheirinho, na primeira vez, eu comprei o leite na versão hortelã, já que na drogaria em que eu fui não vendia essências. Mas o cheiro dele é praticamente imperceptível. Então, se só tiver esse na farmácia, pode comprar porque não incomoda.

Eu nunca liguei muito para cheiro em desodorante e, muitas vezes, comprava os que não tinham nenhum. Então, depois eu até dei uma passada no Mundo Verde para escolher alguma essência, mas não gostei de nenhuma. Agora, eu estou usando o leite do frasco grande, que é a versão clássica, sem cheiro, e estou gostando assim.


E funciona?

Sim, o desodorante funciona! Eu comecei a usar em março do ano passado, há quase um ano atrás. E, desde então, não quero outra coisa. Não tive nenhuma alergia, irritação, nada. E ele tem segurado bem o calor do Rio, não me deixa na mão nem nos dias mais escaldantes. Não tenho nada a reclamar do leite de magnésia. É só amor! Nunca mais eu volto a usar desodorante comum. 

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Aumentar Comprimento Short Jeans Cintura Alta

Sabe quando o seu guarda-roupa não combina mais com você? Pois é, eu estou convivendo com esse problema já há um bom tempo. Tenho uma pilha de roupas encostada aqui no quarto esperando que eu tenha tempo de repaginá-las. Casa de ferreiro... E todos os meus shorts hot pants fazem parte desta lista.

Eu sempre achei lindo short jeans de cintura alta, e até uns anos atrás, era praticamente impossível de encontrar para comprar. Até que ele virou tendência há alguns verões e, desde então, se tornou item permanente nas coleções da maioria das lojas.

Lembro que, logo que isso aconteceu, eu fiquei enlouquecida e comprei vários num curto espaço de tempo, meio que para estocar (rs) com medo de que ele saísse de moda novamente. Que bom que isso não aconteceu e as hot pants continuam aí firmes e fortes.

Mas, apesar de amar este tipo de short, usá-lo sempre exigiu um certo trabalho da minha parte. Como eu tenho a cintura fina e o quadril largo, eu sempre tenho que ajustar TODOS os shorts jeans que eu compro. E, quando somente dar pences na cintura não é o suficiente, eu tenho que diminuir a largura do short na lateral e cortar mesmo o cós, diminuindo e costurando de novo. Ou seja, uma mão-de-obra.

Só que, ultimamente, eu tenho vivido um outro dilema com as hot pants. É que eu não me sinto mais à vontade usando short curto. Ou talvez nunca tenha me sentido à vontade de verdade. Mas achava que devia usar porque assim é "mais descolado" do que short mais comprido. Aquela coisa de tentar se encaixar...

Só que cada um tem um corpo, e deve procurar conhecê-lo e entender o que lhe cai melhor ou não. Eu sei que hoje vivemos na era do você pode usar o que quiser, mas eu, tendo quadril e bumbum grandes e coxas grossas, não me sinto bem usando short curto. Me sinto estranha, vulgar e sempre ouço muita besteira na rua quando saio assim.

Então, após decidir que eu não usaria mais short jeans curto, nasceu uma outra questão: como aumentar o comprimento dos shorts sem ficar estranho ou parecendo uma emenda? Porque como cada jeans tem uma tonalidade e passa por uma lavagem diferente, fica difícil encontrar um outro jeans que bata certinho com ele.

Tenho me debatido com isso há meses, até que, há algumas semanas atrás, revirando a minha bagunça, me veio a ideia de como resolver o problema de pelo menos um desses shorts encostados.

Aumentar Comprimento Short Jeans Cintura Alta

Quando eu esbarrei com estes 2 shorts, percebi que eles têm a cor e a lavagem bem parecidas. Eu comprei os 2 na CeA em épocas diferentes. O de cintura baixa nunca deu certo porque ele tem o fundo muito baixo, então, quando eu ando, as pernas dele enrolam e sobem. Eu tentei consertar mais de uma vez e continuou a mesma coisa. Então, larguei de mão e não iria mais usar.

Já o da esquerda, de cintura alta, eu amo! E queria muito voltar a usar. Então, decidi sacrificar o outro, cortando as pernas dele, para salvar este emendando as pernas nele e deixando-o mais comprido.

Decidido isso, eu pus as mãos à obra. E, como na verdade eu nunca gostei muito do zíper que ele tinha nas laterais, aproveitei e comecei o conserto por esta parte, abrindo os 2 lados e retirando.

Aumentar Comprimento Short Jeans Cintura Alta

Com a saída dos zíperes, após costurar as laterais novamente, o short ficou naturalmente mais apertado, inclusive na cintura. Então, eu aproveitei que teria que diminuir a largura do cós e desmanchei as 2 pences das costas, tirando toda a diferença de largura do quadril pra cintura nas laterais. Fazendo isso, o cós passou a ter uma emenda dos lados, o que não é lá muito bonitinho. Mas não dá para fazer omelete sem quebrar os ovos, né.

Aumentar Comprimento Short Jeans Cintura Alta
O cós sobrando após o ajuste das laterais. Depois disso, eu cortei esta sobra e uni a cintura novamente.
Após estes primeiros ajustes necessários, eu parti pro conserto mais esperado: o aumento do comprimento do short. Para começar, eu descosturei as pernas, parte dos ganchos e também dos bolsos traseiros do short que seria sacrificado para poder aproveitar ao máximo o jeans.

Aumentar Comprimento Short Jeans Cintura Alta

Depois disso, eu comparei as pernas de um e de outro para ver em que altura eu iria cortar o short.

Aumentar Comprimento Short Jeans Cintura Alta

Após um short cortado, eu costurei as pernas no outro, encaixando por dentro e mantendo os 2 desfiados para ter um efeito mais natural. O resultado final foi este abaixo. Uma hot pants que não é mais "hot", pois não é mais curtinha. Mas continua tendo a cintura alta, que é o mais importante para mim. As pernas agora estão na altura da meia coxa e me deixam bem mais confortável.

Aumentar Comprimento Short Jeans Cintura Alta
Short de cintura alta após os ajustes nas laterais e cintura e o aumento das pernas.
Quanto à aparência da emenda, bom, nunca será a mesma coisa que um short já feito comprido. Mas eu gostei do resultado. Foi a melhor solução que eu encontrei para voltar a usar este short que estava encostado há muito tempo no armário. Já estou levando meus croppeds para passear novamente com ele neste verão escaldante do Rio.

Já em relação ao "cotoco" que sobrou do outro short, eu não me desfiz dele também não. Afinal, eu estou sempre provando aqui no blog que eu não desisto de nenhuma roupa assim tão fácil né, rs. E já estou tendo algumas ideias para reaproveitá-lo de outra forma.

Aumentar Comprimento Short Jeans Cintura Alta
Sobra do short sacrificado que, em breve, será reaproveitada ganhando nova utilidade.
Se eu usasse saia de cintura baixa, iria costurar um tecido mais levinho franzido embaixo e ficaria lindo. Mas, como não uso, estou pensando em transformá-lo numa bolsa, mesclando com crochê ou outro tecido... Não sei, vamos ver o que vai nascer. No momento, eu estou tentando descobrir soluções para aumentar o comprimento dos outros shorts de cintura alta que ainda estão parados e para os quais eu ainda não achei nenhum tecido que combine. São mais quatro shorts.

Vocês têm alguma sugestão? Gostaram do jeitinho que eu dei neste aqui? Contem para mim nos comentários.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Toalhas Removedoras Maquiagem

Após os Discos de Crochê, acaba de chegar à loja Vestimentarte mais uma opção para você cuidar da sua pele de forma sustentável. São as Toalhinhas Removedoras de Maquiagem. As clientes gostam muito dos eco pads de crochê. Eles são um sucesso na loja!

E eu vou continuar fazendo-os, mas eu queria muito oferecer também esta outra opção das toalhas porque entendo que cada pessoa se adapta melhor a um tipo de produto. Ou pode gostar de variar o uso. E eu não os vejo como concorrentes ou excludentes, e sim como complementares. Pois, o mais importante é disseminar uma rotina de beleza mais sustentável.

Você também vai gostar:

Estes novos eco discos, que as clientes também já estão amando, são feitos em tecido atoalhado de microfibra com folha dupla, podendo ser usados dos 2 lados. Eles estão disponíveis em kits de 6 unidades e cada toalhinha tem 8 cm de diâmetro. Atualmente, temos 3 opções de cores para você escolher: rosa claro, verde água e preto.

Toalhas Removedoras Maquiagem
Toalhas Removedoras de Maquiagem na cor rosa.

É importante frisar que estas toalhas não são aquelas que prometem retirar a maquiagem somente com o uso de água morna. É necessário o seu uso conjunto com algum produto demaquilante. Em relação à composição do tecido, ele é feito de microfibras de poliéster. Nossa, poliéster? Sim, mas calma, eu explico.

Toalhas Removedoras Maquiagem
Toalhas Removedoras de Maquiagem na cor Verde Água. Só eu AMO essa cor?

Existe o tecido atoalhado 100% algodão e, quando eu fui comprar pela primeira vez a matéria-prima para fabricar as toalhinhas e o vendedor me perguntou qual opção eu ia querer, algodão ou poliéster, eu respondi de cara: o de algodão, claro.

Mas, quando eu peguei o tecido de algodão para sentir o toque...nossa! Vocês não têm noção de como ele é áspero. Sabe aquela toalha de baixa qualidade que, por alguma razão, você acaba comprando e que nem usando 2 litros de amaciante na lavagem ela fica macia? E quando você usa, parece que ela está te arranhando?

Pois o tecido atoalhado de algodão é exatamente assim. Agora, imagina ficar passando um tecido áspero desse jeito no rosto todos os dias para retirar a maquiagem? Não rola, né?! Por isso, a melhor opção é o tecido atoalhado de poliéster usado nestas toalhinhas, que tem o toque super macio e fofinho.

Toalhas Removedoras Maquiagem
E, por último, as Toalhas Removedoras de Maquiagem na cor Preto.

Os Kits de 6 unidades dos Eco Discos estão à venda na loja por R$27,50 cada. E você pode adquiri-los através dos links abaixo:

Kit 6 Toalhas Removedoras de Maquiagem ROSA

Kit 6 Toalhas Removedoras de Maquiagem VERDE ÁGUA

Kit 6 Toalhas Removedoras de Maquiagem PRETO

Espero que gostem do nosso novo produto.