sábado, 17 de novembro de 2018

Oi, gente! Tô numa correria louca produzindo os pedidos de fim de ano, mas arrumei um tempinho para fazer este post porque, além das encomendas das clientes, eu também estou me dedicando a criar produtinhos novos para ter a pronta entrega na loja. E é exatamente uma destas peças novas que eu acabei de fazer que trouxe para mostrar para vocês no post de hoje.

                                          Trata-se desta linda Bolsa Redonda Azul Royal!

Bolsa Redonda Crochê Azul Corrente Comprar Online

Tendência Verão 2019

As bolsas redondas são tendência já há algumas temporadas e continuam firmes e fortes para o verão 2019. Sejam feitas de couro, palha ou crochê, as redondinhas proporcionam um visual retrô e super estiloso ao look. 

Por isso, este modelo não poderia faltar na Vestimentarte. E eu escolhi confeccioná-lo-lo em crochê, claro! Minha técnica preferida forever. :)

A Bolsa Redonda de Crochê Vestimentarte é feita em linha 100% algodão e forrada com tecido estampado também de algodão. Eu adoro bolsas com compartimentos internos. Então, adicionei ao forro 2 bolsinhos com fechamento em velcro para guardar moedas, documentos, essas coisas. São detalhes que ajudam na organização, né?!

Bolsa Redonda Crochê Azul Corrente Comprar Online



Tem outro detalhe que fiz questão de incluir também. Sabe quando a alça da bolsa é toda de corrente e o peso começa a machucar o ombro? Que mulher nunca sofreu com isso? Pois com esta bolsa, você não tem este problema. As alças são de corrente de metal prata, mas eu adicionei uma parte em crochê exatamente na região que pega no ombro para dar conforto ao usar. 😉 

Já o fechamento externo é com zíper preto que tem este chaveiro de tassel na ponta na mesma cor da bolsa para dar o toque final à peça.

Taí uma bolsa estilosa, numa cor que combina com qualquer look e no tamanho ideal para te acompanhar na balada, no cineminha, naquele passeio com as amigas...

Se você ficou com vontade de ter esta bolsa para chamar de sua, é só acessar um dos links abaixo para adquirir:

domingo, 4 de novembro de 2018

Mandala Crochê Reaproveitamento de Materiais

Esta semana eu fiz minha primeira mandala de crochê! ❤ Sim, apesar de crochetar há muitos anos, até hoje eu ainda não tinha confeccionado nenhuma mandala. Não por falta de vontade, mas de tempo mesmo. Sempre tem alguma encomenda para fazer, algum modelo novo para tirar do papel, as outras demandas da vida... e acaba que fazer crochê simplesmente por hobby vai ficando em segundo plano.

Mas, desde o mês passado, eu venho tentando mudar algumas coisas na minha rotina para conseguir criar tempo para me dedicar a coisas que eu passo a vida dizendo que vou fazer e nunca faço. E a mandala de crochê foi um desses desejos antigos que finalmente saiu do território das ideias para o mundo real.

Na verdade, a mandala que eu fiz é bem simples, pois foi confeccionada a partir de uma argola antiga que tenho há muitos anos e que mede apenas 9 cm de diâmetro. Então, a quantidade de pontos e cores foi pensada para caber neste tamanho.

Os demais materiais também são reaproveitados. Eu utilizei vários restinhos de linha que tenho há muito tempo e algumas miçangas também antigas. Então, além de toda a questão do simbolismo da mandala, tem também o reaproveitamento de materiais. Projetinho puro amor. ❤

Mandala Crochê Reaproveitamento de Materiais


Já em relação aos pontos utilizados, eu procurei por gráficos no Pinterest até encontrar algum que se encaixasse melhor. Estas são algumas das opções que salvei por lá.

Mandala Crochê Gráfico Receita

Mandala Crochê Gráfico Receita

Mandala Crochê Gráfico Receita
Confira mais gráficos na pasta de Mandalas que criei lá no Pinterest.

Mandala Crochê Gráfico Receita
Gráfico que segui como base pra mandala, mas fazendo alterações.

Eu me baseei mais neste último gráfico, mas não o segui totalmente, fui adaptando a receita enquanto fazia. E gostei bastante do resultado, mas usei menos cores do que havia imaginado. Além disso, acho que a mandala teria ficado mais bonita se o círculo de pontos em laranja tivesse sido feito também em rosa. Mas tudo bem, eu não quis desmanchar só por causa disso.

Mandala Crochê Passo a passo

Mandala Crochê Passo a passo


Significado da Mandala

Eu sempre fui apaixonada por mandalas! Acho lindas! As cores, as formas geométricas, o formato circular, toda a combinação de elementos sempre me hipnotizou. E tem cada mandala linda de crochê! Eu salvei várias lá no Pinterest quando estava buscando inspirações.

Mas, após fazer a minha, eu fiquei com vontade mesmo foi de saber a real origem das mandalas. Então fui pesquisar a respeito e fiz um pequeno resumo das informações que encontrei:

Mandala, em sânscrito, significa círculo, sendo encontrada em religiões como o budismo e o hinduísmo. É uma representação geométrica da dinâmica relação entre o homem e o cosmo. Usada como instrumento para meditação entre os monges tibetanos por favorecer a concentração, a mandala simboliza o universo e a busca pela espiritualidade.

Para os índios nativos americanos, a mandala teria o poder de proteger e afastar os maus sonhos e espíritos malignos. Por isso, é também chamada de filtro dos sonhos. Para ler mais a respeito, acesse: todamateria.com.br/mandala/  pt.wikipedia.org/wiki/Mandala

Mandala Significado - Crochê Natureza Reconexão

Eu amei fazer esta humilde mandala com minhas próprias mãos e usando coisas que eu já tinha em casa. Foi como fazer a energia circular usando a criatividade para reunir materiais que estavam parados aqui.

Foi tudo bem significativo para mim, pois a mandala representa a busca pela conexão com o universo, a busca por harmonia. E eu estou num momento em que estou focando fazer as coisas com mais calma, sem pressa, apenas me entregando ao processo e deixando fluir. E esta mandalinha foi uma criação bem simbólica, como o marco de uma nova fase.

E você, também gosta de mandalas? Já fez alguma com suas próprias mãos, seja de crochê ou algum outro material / técnica? Conta para mim aqui nos comentários!

domingo, 28 de outubro de 2018


Que eu amo a união entre moda e arte o nome do blog já entrega, né?! rs Mas, quando consigo juntar estas 2 coisas numa peça de roupa real e palpável, a felicidade é indescritível! E posso dizer que foi exatamente isso o que consegui há uns anos atrás quando resolvi bordar um top tendo como inspiração o quadro A Virgem, de Gustav Klimt.

Este top azul, na verdade, era uma saia que ganhei de uma amiga e quase não usei por ter ficado muito curta e justa. Aí, eu tive a ideia de transformá-la em blusa e, depois, de bordá-la tendo como ponto de partida as formas e cores do quadro do Klimt.

Este quadro estava impresso na minha agenda da época (2005!!). Era a capa do mês de janeiro, como se pode ver na foto. E eu simplesmente AMAVA esta agenda, que inclusive considero a mais linda que eu já tive até hoje! Isso porque ela tem como tema exatamente a arte. Todas as páginas são personalizadas com o quadro de algum artista impresso e também poesias e trechos de músicas.

Você também vai gostar:


Esta agenda acabou se tornando o meu primeiro contato com diversas obras de arte, como o quadro em questão, A Virgem, do Klimt. E ela não é de nenhuma marca de papelaria conhecida, não. Era do PSTU. Sim, o partido político. Uma amiga da faculdade era militante e estava vendendo na época. Eu, lógico, me apaixonei de cara pela agenda e comprei. Gosto tanto dela que guardo até hoje. E sempre guardarei. ❤


Dentre os muitos quadros que estão impressos nesta agenda, um dos que mais me chamavam a atenção era este do Klimt. Eu ficava horas olhando pro movimento angelical e, ao mesmo tempo, sensual das pálidas mulheres da imagem, que parecem flutuar no ar feito fumaça, de tanta leveza... E me perdia nas formas sinuosas e orgânicas dos arabescos e flores meticulosamente pintados por Klimt em tons de violeta e azul, por vezes, contrastando com o amarelo.

Inspirada por estas formas e cores, eu criei uma composição livre, misturando várias técnicas artesanais, tais como bordado, crochê e aplicação de tecido. E, mesmo dentro do bordado, eu utilizei diversos pontos diferentes, como o ponto corrente (meu preferido para tudo!), o caseado, chuleio e o ponto pé de galinha

Já com o crochê, eu utilizei o ponto alto para criar formas parecidas com os arabescos do quadro. O viés do decote em tecido estampado teve a intenção de reproduzir as minúsculas flores pintadas por Klimt. E, por último, a aplicação do tecido branco com estampa delicada também em branco foi para remeter à pele alva das mulheres do quadro.



Na verdade, eu não uso mais este top há muitos anos. Mas ele é meu xodó. E uma coisa é certa: eu nunca vou me desfazer dele! Pois eu gosto muito deste bordado que fiz. É um trabalho que fala tanto sobre mim, sobre a minha necessidade de criar, de tornar cada peça única, de transformar vestimenta em arte...

Mas, me digam vocês, também gostaram do bordado? Acham que realmente remete ao quadro? Ou já personalizaram alguma roupa tendo como inspiração alguma imagem da qual gostavam muito? Me contem nos comentários.

domingo, 21 de outubro de 2018


Ontem eu fui pela primeira vez ao Veste Rio, o atual evento oficial da moda carioca que acontece pela 6° vez na Píer Mauá. Eu fiquei sabendo desta edição Inverno 19 esta semana mesmo. Aí, aproveitei que já iria ao centro do Rio resolver algumas coisas e dei uma passada lá na sexta-feira, dia 19, para conferir de perto esta nova tentativa de manter viva a cena fashion do Rio de Janeiro.

Desde o fim do Fashion Rio, em 2014, a cidade está órfã de um evento de moda com maior destaque. De lá para cá, já foram feitas algumas tentativas de retomada do fôlego, como o Rio Moda Rio, em 2016, mas nenhum com o mesmo peso e importância nacional da badalada semana de moda carioca.


Evento bem organizado e diversificado

O Veste Rio, idealizado pela revista Vogue Brasil e pela Revista Ela do jornal O Globo, em parceria com a Firjan e o Senac, é um evento bastante democrático e diversificado. Isso porque, além dos tradicionais desfiles das grifes, também promove palestras, oficinas, um espaço outlet, salão de negócios, além de shows ao fim do dia e opções gastronômicas. Tudo com entrada gratuita!

Evento bem organizado.

Eu gostei do evento, tudo estava muito bem organizado. Só achei o outlet bem vazio, não tinha muita gente. Exceto no stand da Foxton, que tava lotado e com fila do lado de fora. No geral, achei os preços caros, nem parecia outlet. Não comprei nada.

O salão de negócios também estava vazio na sexta-feira. E eu sinceramente espero que nos outros dias a realidade tenha sido diferente, porque eu sei que pros lojistas não é barato estar ali.

Queria ter assistido a uma das palestras, mas o pessoal não se animou de esperar até às 18h, quando seria a próxima, e eu acabei vencida pelo cansaço também e fui embora antes. Tentei fazer alguma das oficinas, mas as vagas acabam sempre super rápido, então, também não rolou.


Experiência super agradável

Mas valeu super a pena ter ido! Eu marquei com uma nova amiga, a Mayna, que foi acompanhada da irmã, Taísa, e um amigo. Todos trabalhamos com Moda e trocamos várias ideias. Além de termos lanchado um hambúrguer artesanal divino num dos food trucks do evento, o Carango.

Vista linda e vibe ótima mesmo num dia nublado.
Fora que a vista do Píer Mauá é sempre uma atração à parte. Nós 4 tivemos uma tarde bem agradável. E eu voltei para casa com outro astral. O passeio que fiz pelo Saara e pela orla do Museu do Amanhã antes de ir para lá, somado às coisas que vi no Veste Rio, me ajudaram a espairecer um pouco e já me renderam inclusive um insight valioso que me ajudou a desempacar um projeto antigo de crochê que não andava de jeito nenhum. Aguardem novidades!

O evento acaba hoje, dia 21, e eu torço, de verdade, para que o Veste Rio se mantenha firme e cresça cada vez mais. O meu lindo e castigado Rio merece e PRECISA voltar a ter uma semana de moda que o represente à altura.
Fontes pesquisadas: 
www.vesterio.rio / lilianpacce.com.br / g1.globo.com /

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Posso dizer que o post de hoje está beeem atrasado. Isso porque eu finalmente vim mostrar aqui no blog uma peça que eu fiz no ano passado, mais precisamente em maio de 2017. Sim, já tem um tempinho...  

Modéstia à parte, este vestido ficou a coisa mais linda! 😍 Tão romântico.

O modelo em questão foi este vestido de alça e com babadinhos que fiz sob encomenda para a mesma cliente e amiga, Carla, do Vestido Manga Longa Flare que eu já mostrei aqui há um tempo atrás.

Para esta nova encomenda, ela me mandou uma foto de um vestido que ela achou na internet e que, na verdade, era de tricô, mas ela queria que eu fizesse de crochê. Então, com base na imagem que ela me mostrou, eu pesquisei por pontos de crochê que proporcionassem um visual e feitio o mais próximos possíveis do modelo original.

Depois de muita procura no Pinterest, eu decidi usar esta variação de ponto leque por ser mais fechado e por proporcionar um início de trabalho com natural adaptação ao decote V do modelo.

Variação de Ponto Leque que escolhi para fazer este vestido. 
Eu fiquei simplesmente apaixonada por este ponto, pois ele proporcionou à peça um visual meigo e romântico, além de ser uma delícia para tecer. Você vai crochetando, crochetando... e nem vê o tempo passar...

Aliás, eu gostei tanto do ponto que gravei até um vídeo ensinando a fazer e coloquei no Youtube. Olha só:



E, o mais importante de tudo, a cliente também adorou o vestido! Esta aqui é uma selfie que ela me mandou no whats logo que chegou em casa e viu a encomenda pronta.

Cliente satisfeita!
A parte da saia do vestido foi feita em outro ponto que, assim como o ponto leque, eu também encontrei no Pinterest. Já para os babadinhos, que também eram curtinhos na imagem de referência, eu escolhi este outro ponto bem parecido com o da blusa.

E, se você também gostou do vestido e quer encomendar um igual, é só acessar o link abaixo para conferir o valor e demais detalhes:

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Bucha Vegetal Limpeza Pele Banho

Tem anos que eu sou adepta da bucha vegetal para limpeza da pele na hora do banho. Adoro sentir o massagear das suas fibras naturais na minha pele e a sensação de limpeza que fica após o banho. Sou fã incondicional! Acho muito melhor do que as opções sintéticas.

Eu já comprei muitas vezes a versão totalmente in natura, ou seja, saída direto do pé e vendida em feiras, ou mesmo doadas por algum vizinho que tinha a planta em casa. Mas, adquirida assim, ao natural, sem nenhum tipo de processamento, a bucha vegetal dá bastante trabalho até ficar pronta para uso.

Bucha Vegetal Natural Feira Livre
Bucha vegetal totalmente in natura vendida em feiras livres.
Imagem: www.ecycle.com.br

Isso porque é preciso deixá-la de molho por algum tempo para retirar as sementes, depois mais um tempo numa solução com água sanitária para higienização... E, mesmo assim, meses depois, no meio do seu banho, do nada sai uma semente preta daquela que você jurava que já tinha se livrado...

Por isso, há algum tempo, eu tenho preferido comprar as minhas em drogarias mesmo. Até pelo fato de ser mais acessível, pois eu já tenho de ir até lá comprar outras coisas.



Benefícios da bucha vegetal

Bucha Vegetal Limpeza Pele Banho

Para quem ainda não experimentou, é sempre bom reforçar os benefícios do uso da bucha vegetal.


1) Promove uma esfoliação natural da pele

O atrito das fibras naturais sobre a pele promove a retirada de impurezas e células mortas, proporcionando uma esfoliação natural e, de brinde, uma pele viçosa e renovada. Aliás, li um dia desses na internet que a Carolina Dieckman usa até no rosto! Isso para garantir uma limpeza mais vigorosa. Eu cheguei a testar, já que tenho a pele oleosa, mas estranhei um pouco e ainda não aderi para valer.

2) Ativa a circulação

Ao mesmo tempo em que retira impurezas, o atrito da bucha vegetal sobre a pele durante o banho também proporciona a ativação da circulação sanguínea, principalmente se você utilizá-la massageando a pele com movimentos circulares.

3) Ajuda a evitar a celulite

E, como consequência deste poder de ativar a circulação sanguínea, a bucha vegetal também ajuda a prevenir o aparecimento das temidas celulites.

4) É uma opção sustentável

É até redundante dizer que a bucha vegetal é um produto natural, não é mesmo?! Por ser o fruto de uma planta, ela se torna uma opção totalmente sustentável e biodegradável de esponja de banho, sendo facilmente decomposta ao ser descartada no meio ambiente.

Além disso, se você tiver espaço em casa, também pode plantar o seu próprio pé de bucha e ir colhendo-as conforme a sua necessidade. Quer coisa mais linda?!

Bucha Vegetal Como Plantar
Imagem: www.pensamentoverde.com.br

5) Tem uma excelente relação custo X benefício 

E, além de todos estes benefícios para a pele e o meio ambiente, a bucha vegetal ainda faz bem pro bolso! Eu paguei apenas R$3,40 pela minha na última vez que comprei numa drogaria aqui de Caxias. Mas, em feiras livres é possível pagar ainda menos por uma bucha de comprimento bem maior, que pode ser cortada em tamanhos menores e durar muuuito.


Como amaciar sua bucha vegetal?

Mas, mesmo sabendo de todos os benefícios da bucha vegetal para a pele e gostando muito de usá-la, se tem algo que sempre me incomodou é a aspereza das suas fibras nos primeiros dias de uso. É algo realmente um tanto incômodo e demora um tempinho até que a utilização fique realmente prazerosa.

Lembrando disso, quando tive que comprar uma bucha nova, no mês passado, eu resolvi pesquisar na internet por dicas de como torná-la mais macia. Não encontrei tantas sugestões assim, mas resolvi testar as que se mostraram mais viáveis para mim.

Dica 1: Deixar a bucha vegetal de molho no condicionador

Para seguir esta dica, eu usei um condicionador que comprei por engano há um tempinho atrás e que está encostado aqui em casa porque meu cabelo não gostou dele. (Reaproveitamento sempre!) Peguei também um pote de creme antigo que tenho aqui com tamanho que achei suficiente para cobrir toda a bucha vegetal com água.

Bucha Vegetal Como Amaciar Condicionador

Eu coloquei pelo menos umas 3 colheres de sopa do condicionador dentro do pote, pus a bucha dentro e enchi com água. Daí, eu percebi que seria melhor trocar de pote, já que o primeiro na verdade era baixo e a bucha ficava com uma parte para fora da água.


Bucha Vegetal Como Amaciar Condicionador

Então, eu passei tudo para este outro pote mais comprido. E deixei assim por uns 3 dias. Ao final deste período, eu retirei a bucha, lavei somente com água e comecei a usar.

Confesso que eu esperava que o efeito amaciante fosse maior. Porém, não dá para negar que ela ficou bem melhor do que se eu não tivesse feito nada. As fibras ficaram mais maleáveis, como se o condicionador as tivesse hidratado.

Dica 2: Molhar com água morna antes do banho

Porém, na hora de usar, como a bucha ainda está nova, eu continuo sentindo a necessidade de uma amaciada a mais. Por isso, antes de começar o banho, eu sempre a molho com água morna no chuveiro, mesmo que eu não tome banho quente, para dar uma amolecida a mais.

O efeito desta 2° dica é instantâneo, mas não dura. Então, é preciso repetir o processo e molhar com água quente ou morna toda vez que for usar.

Como conservar sua bucha vegetal?

A bucha vegetal não exige muitos cuidados além do que se deve ter com qualquer esponja de banho, como enxaguar bem após o uso e deixar secar em local ventilado. Eu deixo a minha secar no próprio banheiro numa prateleira de plástico perto da janela.

As minhas buchas costumam durar bastante, nunca menos de uns 3 meses. No inverno, eu uso apenas umas 2 ou 3X por semana para não castigar a pele. Mas, agora, com o verão chegando, uso todos os dias! Elas compõem para mim um ritual natural de beleza do qual eu não abro mão.