sexta-feira, 26 de abril de 2019

,
Como Lavar Roupas Crochê Tricô

Já tinha um tempo que eu queria trazer aqui pro blog dicas de como lavar e conservar roupas de crochê e tricô. As peças confeccionadas com tramas de ou linha precisam de cuidados especiais, diferentes das roupas comuns, e nem todo mundo tem conhecimento do que é necessário para cuidar delas da maneira mais adequada para que elas durem mais.

Por isso, eu preparei este post com os principais cuidados que se deve ter ao lavar e guardar roupas de crochê e tricô. Para ilustrar o texto e ajudar na compreensão, eu lavei uma peça que finalizei recentemente e fotografei o processo para mostrar como eu cuido das minhas roupas de crochê.


Lavagem à mão

Para lavar peças de crochê à mão, o procedimento é bem simples. Basta colocar um pouco de água em temperatura ambiente no seu tanque, ou numa bacia, como foi o meu caso, apenas o suficiente para cobrir totalmente a peça. Depois disso, dilua um pouco de sabão na água e dissolva bem até fazer espuma.

Você pode lavar suas peças de crochê ou tricô no tanque ou numa bacia de plástico.

Qual o melhor sabão?

Quanto a qual sabão usar, muita gente recomenda o uso de sabão líquido para lavar peças handmade. Eu nunca usei este tipo de sabão, mas já usei muitas vezes sabão em pó comum por ser a opção que tinha na hora. Porém, não recomendo, pois sempre faz as peças de cor soltarem muita tinta e, depois de secas, elas não ficam com um toque tão bom se você não usar amaciante.

O sabão neutro costuma ser o mais recomendado nas instruções de lavagem dos fabricantes de fios. E, depois que eu passei a usá-lo, entendi perfeitamente o porquê. O sabão que aparece na foto acima é o Ypê neutro e glicerinado. Ele espuma bastante, remove bem a sujeira e deixa a roupa muito, mas muito macia depois de seca. 

Efeito milagroso da glicerina. Eu me surpreendi com o resultado da primeira vez e não quero mais saber de outra coisa. Aqui em casa, nós usamos este mesmo sabão para lavar louça também, pois ele não resseca as mãos.

Como lavar?

Ao lavar peças de crochê, esfregue pouco e com cuidado. Se preciso, deixe um tempinho de molho no sabão para soltar melhor a sujeira. Ao enxaguar, NÃO TORÇA a peça em hipótese alguma! Isso irá deformá-la de uma maneira irreversível.Somente esprema, apertando a peça para retirar o excesso de água. Sem girá-la com as mãos como se faz ao torcer.

Lavagem à máquina

Não é recomendável lavar peças de crochê na máquina, pois a possibilidade delas ficarem deformadas é grande. Mas, muita gente lava suas peças handmade desta forma utilizando a opção de roupas delicadas do aparelho. Se você preferir este método, lembre-se de não centrifugar a peça no ciclo completo para não deformá-la.

Destaco aqui que eu nunca lavei minhas roupas de crochê na máquina. Então, não posso garantir que as peças realmente fiquem intactas. Mesmo as minhas roupas "normais" de tecido, exceto jeans e outros materiais mais pesados, eu costumo lavar à mão. Prefiro assim, pois mantém as peças em bom estado por mais tempo. 

Como secar?

Depois de lavar e enxaguar, deixe a peça para secar na horizontal. Não as pendure no varal como as roupas de tecido, pois o próprio peso da peça molhada irá deformá-la. Eu costumo colocar minhas peças sobre uma sacola plástica bem grande que tenho e deixá-las secando no chão da área de serviço ou sobre a cisterna que temos aqui no quintal. De preferência, na sombra.

Eu costumo deixar minhas peças de crochê secando sobre uma sacola plástica grande
que coloco sobre a tampa da cisterna no quintal ou no chão da área de serviço.

Pode passar a ferro?

Normalmente, as peças handmade não precisam ser passadas, pois não amarrotam. Mas, se você é daquelas que não dispensa o ferro, as peças 100% algodão podem sim ser passadas, preferencialmente sem usar vapor. Já as peças 100% acrílico e também aquelas que tem fios metalizados não devem ser passadas a ferro.

O ideal é sempre verificar o que consta na etiqueta de composição da peça para saber como cuidar dela. Se você não sabe o que aqueles "deseinhos" significam, não tem problema. Lá no início do blog, eu publiquei um post que tem uma tabela mostrando o significado dos principais símbolos de instrução de lavagem de roupas. Você pode acessar através do link abaixo:


Se as peças que você comprou não têm etiqueta de composição, peça ao artesão que as confeccionou que lhe passe as orientações que constam no rótulo da linha ou lã utilizada. Aqui abaixo estão fotos que tirei de 2 rótulos de fios, mostrando as instruções de lavagem e conservação dos 2 materiais mais utilizados em peças handmade: algodão e acrílico.


Instruções Lavagem Crochê Tricô 100% algodão
Instruções de Lavagem que constam no rótulo de um novelo de linha 100% ALGODÃO da Coats Corrente. 

Instruções Lavagem Crochê Tricô 100% acrílico
Instruções de Lavagem que constam no rótulo de um novelo de lã 100% ACRÍLICO da Coats Corrente. 

Como guardar? 

Após lavar e secar, as peças de crochê e tricô devem ser guardadas dobradas, nunca no cabide, pois isso também as deforma.
Guarde suas peças de tricô ou crochê dobradas.


Aqui vai um resuminho dos cuidados principais abordados no post:

  1. Lavar as peças preferencialmente à mão;
  2. Esfregar pouco e com cuidado;
  3. Usar sabão neutro;
  4. Não torcer, somente espremer para tirar o excesso de água;
  5. Deixar secar na horizontal (preferencialmente à sombra);
  6. Não passar peças de acrílico e as que tiverem metalizado;
  7. Guardar as peças dobradas, nunca no cabide. 

Pronto! Viu, não é tão difícil assim cuidar de peças handmade. E elas são tão lindas e únicas, que vale a pena gastar um tempinho a mais seguindo estes pequenos cuidados especiais para que elas durem muito e conservem a sua beleza e formato originais.

sexta-feira, 12 de abril de 2019

,
Camiseta Listrada Customização

O post de hoje é bem rapidinho, só para mostrar uma customização bem simples que eu fiz recentemente, mas que me deixou bem feliz. Isso porque agora vou poder voltar a usar uma blusa que eu adoro.

Trata-se desta camiseta listrada da foto. Eu a comprei em 2010, há quase 10 anos atrás, na CeA. E lembro até hoje de como foi no dia, tipo amor à primeira vista. Eu gosto muito dela, das cores, do recorte que ela tem nas costas, da assimetria entre a frente e as costas.


Porém, eu achava a parte da frente curta demais, como se pode ver na foto. Isso sempre me incomodou e eu ficava o tempo todo puxando a blusa para baixo com medo de estar aparecendo o umbigo. Depois de usá-la diversas vezes do jeito que estava, eu decidi colocá-la no saco de roupas para customizar / consertar até eu encontrar um jeito de resolver isso. 


Foi então que eu percebi que tinha uma outra blusa que eu já não usava há um tempão que serviria perfeitamente para aumentar o comprimento desta camiseta. Isso porque o tom de cinza da outra era bem próximo das listras desta. 


Então, eu descosturei o tecido da gola para emendar no comprimento da camiseta.


Depois, eu o recortei no formato da bainha da frente da camiseta e peguei também uma tira de malha branca que era a bainha de uma outra camiseta antiga que já não existia mais. A ideia foi simular uma nova listra aplicando a tira branca sobre a barra cinza.


Aí, após posicionar os dois retalhos sob toda a volta da bainha da frente, eu fui costurando tudo à mão com ponto de alinhavo. E usei duas cores de linha de bordado para ficar mais bonitinho.

Aqui é a nova barra já aplicada.
E aqui a peça vestida mostrando a diferença no comprimento.

Para finalizar, agora o antes e depois.
Camiseta Listrada aumentando comprimento

Eu gostei bastante do resultado. Resolveu o problema e. ao mesmo tempo, ficou bem discreto.
E vocês, o que acharam?

sexta-feira, 5 de abril de 2019

,
roupas crochê farm rio

Nossa, os últimos 15 textos que publiquei aqui não foram sobre crochê. Isso é inédito na história deste blog. Estou chocada! E para quebrar este longo jejum de crochê aqui no Vestimentarte, o post de hoje é sobre uma marca carioca super badalada, que tem uma legião de fãs no Brasil inteiro e que sempre investe pesado no crochê em suas coleções: eu estou falando da Farm, é claro.

Nascida em 1997, com um simples stand na Babilônia Feira Hype, a Farm tem como inspiração o estilo despojado da garota carioca, criando peças com uma pegada bem boho e muitas estampas, de preferência exclusivas. Com esta combinação, a marca rapidamente conquistou uma legião de clientes fiéis, as famosas farmetes.

É muito raro uma marca apostar em peças artesanais de forma tão consistente como a Farm. Sejam croppeds, saias, vestidos ou shorts, em praticamente todas as suas coleções sempre têm lindas peças de crochê. Por isso, eu sentia que precisava fazer um post sobre ela aqui no blog.

Seria impossível listar todas as peças de crochê já feitas pela marca em um único post. Então, eu escolhi algumas de cada tipo para exemplificar o belo trabalho feito pela Farm em moda handmade.


Croppeds

Começo pelos croppeds, que são peças de crochê com presença garantida em toda coleção da marca.  
cropped frente unica crochê farm
Cropped de Crochê Frente Única Farm

Variam os modelos, mas o estilo despojado e natural é a maior característica. Perceba que a marca não utiliza bojo em seus croppeds.
top cropped crochê nude farm

cropped colete preto crochê farm

Este último aqui não é somente um cropped. Foi criado para ser usado como colete também, sobreposto a camisas.


Moda Praia: Biquínis e Maiôs

Como não podia ser diferente, o crochê também é uma constante na linha praia da Farm. Os biquínis ora tem as duas peças artesanais, ora somente a parte de cima. Mas o charme é sempre garantido.

biquini croche farm
Biquíni de crochê frente única.

biquini croche  farm
Biquíni com o top de crochê e calcinha em lycra estampada.
Os maiôs, como este preto, muitas vezes são híbridos, podendo ser usados também como body.
maio body triquini croche  farm


Blusas e Batas

Batas têm tudo a ver com a pegada hippie da marca e claro que elas aparecem também em crochê. 

blusa bata croche farm

Sejam monocromáticas ou com a mistura única de cores que só a Farm faz, elas são sempre lindas.

blusa bata croche farm

Shorts

Sem medo de ousar, a Farm também se joga em peças handmade nada convencionais, como os shorts de crochê.
short croche farm

Curtos e soltinhos, eles também seguem a cartela de cores vibrante da marca e vestem melhor as meninas mais magrinhas.

jaqueta cropped short croche farm
Este look todo handmade e com sobreposição de jeans ficou uma graça.

Vestidos

Além de ousar nas cores e modelos, a Farm também aposta alto em peças handmade mais elaboradas, como vestidos de crochê. Este curto em motivos preto e branco ficou lindo.

vestido preto branco croche farm


       E olha este longo branco, que divo. A gente olha para ele e já pensa em Rèveillon né, não?!

vestido longo branco croche farm

Você também pode gostar:

Quadradinhos Coloridos

Se a Farm ama crochê, já está provado que ela ama ainda mais o crochê feito de squares. Os quadradinhos coloridos já renderam peças que se tornaram verdadeiros clássicos da marca.

cropped squares coloridos croche farm

Este cropped é uma graça e eu quero muito fazer para mim. Tá lá na fila de projetos a serem executados no futuro. Ele faz conjunto com esta saia midi incrível de linda e que já foi inclusive usada pela personagem Ritinha na novela A Força do Querer, que tinha sempre muitas peças de crochê no seu figurino. Eu fiz um post todinho sobre ela na época. Dá uma olhada aqui.

saia midi croche farm isis valverde
Saia Midi de Squares coloridos que foi usada pela personagem Ritinha de A Força do Querer.
Outra famosa que usou não somente a saia, mas o conjunto completo foi a cantora Vanessa da Mata numa participação no programa Altas Horas da Globo há uns anos atrás. Linda!

conjunto croche farm Vanessa da Mata

Outro conjunto de squares da marca. Desta vez, com menos variações de cores nos quadradinhos.

conjunto cropped saia croche farm
Agora um vestido gola alta todo de quadradinhos de crochê. A Farm abusa né não?! 

vestido quadrados coloridos croche farm

E o macacão? Nem falo nada... Um escândalo de lindo.

macacão quadrados coloridos croche farm

E que tal um macacão pantacourt? Desta vez, com os quadradinhos todos nas mesmas cores. 

macacao midi quadrados coloridos croche farm

Fazer peças todas de squares de crochê dá um trabalhão. Mas que fica lindo, ah, fica! Vale a pena.

Crochê + Tecido na mesma peça

Eu adoro as roupas de crochê da marca, mas quando a Farm resolve unir a técnica artesanal e tecidos na mesma peça, aí eu amo mais ainda. Olha só que graça este cropped estampado!

cropped croche farm

Uma combinação de crochê + tecido que já é clássica da marca são os vestidos florais com a parte de cima em crochê. São vários e lindos!
vestido com top croche farm

Olha só este preto curtinho, que fofo!
vestido com top croche farm

E olha só os quadradinhos de crochê combinados ao jeans, dando um charme todo especial a peças basiquinhas.

short jeans customizado croche farm

Eu estou apaixonada por este vestido de moletom com mangas de squares. 
vestido moletom mangas croche farm


E esta jaqueta bomber ganhou ainda mais bossa com os quadradinhos aplicados na manga. É da atual coleção de Inverno 2019 da marca: Anunciação.

jaqueta bomber mangas croche farm

Bom, eu vou parar por aqui. Como designer e crocheteira, eu sou muito fã da forma com que a Farm trabalha o handmade em suas coleções e queria poder colocar aqui todas as peças que eu gosto, mas o post ficaria muito pesado. Acho que já está né, rsrs. 

Espero que vocês tenham gostado desta seleção de peças de crochê da marca.


*As imagens usadas neste post foram retiradas de diversos sites diferentes, inclusive o site oficial da marca: www.farmrio.com.br

sexta-feira, 22 de março de 2019

,
melhor site venda artigos usados

Há algum tempo, eu venho tentando readequar meu guarda-roupa para deixá-lo mais condizente com a pessoa que eu sou atualmente e com a minha nova rotina. Inclusive, tenho falado bastante aqui no blog sobre as customizações e consertos que tenho feito em algumas das minhas roupas.

Mas, mesmo para quem sabe (e gosta muito de) costurar e customizar as próprias roupas como eu, às vezes, a melhor solução é mesmo desapegar. Por isso, há cerca de 2 anos atrás, eu resolvi recorrer a sites de compra e venda de artigos usados para tentar passar pra frente as peças que eu não quero mais.

Passado este tempo, eu decidi fazer este post para contar como tem sido a minha experiência vendendo roupas e acessórios usados nos principais sites brasileiros especializados nisso: Mercado Livre, Enjoei e OLX. Desde já, gostaria de frisar que trata-se da minha opinião, baseada na experiência que venho tendo. 


Enjoei

enjoei site venda artigos usados
Vou começar pelo Enjoei, que tem sido o mais badalado nos últimos anos. É inegável que ele é o que tem maior apelo fashion entre os três e faz um trabalho pesado de marketing. Mas, claro que isso tudo tem um preço, e as tarifas do Enjoei também são as mais altas de todas.

Por isso, mesmo com a linguagem descolada e a quantidade enorme de usuários na plataforma, fica difícil engolir as taxas altíssimas cobradas para anunciar lá. O site fez várias mudanças nas suas políticas recentemente, mas que, como de costume, visam facilitar mais a vida dos compradores do que a de quem vende. 

Ao invés das taxas fixas de 20% sobre o preço do produto + os R$2,15 do anúncio como era antigamente, agora, as tarifas variam de acordo com o preço do produto, conforme a nova tabela de tarifas do site, que segue no print abaixo:

Tarifas para anunciar no Enjoei.Fonte: www.enjoei.com.br

Ou seja, se você quiser vender um produto por R$50, por exemplo, serão descontados R$16,15 da sua venda (a comissão de 18,5%, a tarifa fixa de R$1,90 e os R$5 de participação no custo do frete, seguindo as novas políticas do site). Sobram 33,85 para você.

Para sacar este valor pra sua conta bancária, como ele é inferior a R$200, também é cobrada uma taxa de R$1,50. No final, restam R$32,35 líquidos. É uma diferença muito grande.

Mas é melhor sacar logo, viu. Porque também paga para deixar o dinheiro lá esperando novas vendas. São R$9,99 mensais para contas sem movimentação há mais de 6 meses. Ao contrário do que eles dizem, só vejo desvantagens...

Além das tarifas da transação em si, depois que eles criaram a opção de promover os "enjôos", como eles se referem aos produtos, ficou bem mais difícil ter visibilidade dentro do site, e assim vender mais rápido, sem pagar (ainda mais) por isso.

E se você acha que só o site te tira dinheiro lá dentro, está enganado. A imensa maioria dos compradores sempre tenta pagar menos fazendo as famosas ofertas, oferecendo menos do que o valor que você anunciou pelo produto.

Aí, todo mundo que escolhe continuar vendendo no site apesar de tudo acaba jogando o preço lá no alto para conseguir ter algum lucro após tantos descontos.

Além disso, o público do site é muito ligado em marca. Aliás, este é o foco do Enjoei em si. Então, vender peças comuns, sem ser de grife (como é o meu caso) se torna bem mais difícil. 

Até hoje, após mais de dois anos de lojinha, eu vendi somente uma peça. A única que era de marca. E retirei a maioria dos meus produtos de lá. Atualmente, tenho só dois cadastrados. 


Mercado Livre

enjoei site venda artigos usados
O ML é o site onde eu realizei o maior número de vendas de artigos usados até hoje. E o uso também para vender alguns dos produtos da minha loja virtual de artesanato. Mas ele já foi um lugar mais atrativo para se vender. Atualmente, com as frequentes alterações nas políticas e aumento de taxas, não é mais tão interessante.

Ainda há a opção de anunciar grátis tendo baixa exposição nas buscas. Para ter destaque, é preciso optar pelas versões de anúncio Clássico ou Premium. Segue no print abaixo as características e tarifas de cada um:

Tarifas para anunciar no Mercado Livre.
Fonte: www.mercadolivre.com.br
Apesar deles prometerem uma exposição alta no anúncio Clássico, na minha experiência com o site, não vejo nenhuma diferença na quantidade de visualizações e contatos desta opção em relação ao anúncio Grátis. Sempre tive os mesmos resultados em ambos. Quanto ao anúncio Premium, não tenho como opinar, pois nunca utilizei.

Mas, mesmo vendo na prática que os anúncios Grátis e Clássico dão na mesma, atualmente, eu sou obrigada a usar a versão paga se quiser continuar anunciando por lá. Isso porque eu ultrapassei as quantidades máximas de venda, tanto de produtos novos quanto usados, conforme as regras do site que constam no print abaixo:  

Tarifas para anunciar no Mercado Livre.
Fonte: www.mercadolivre.com.br
Então, atualmente, vender artigos usados no Mercado Livre não tem sido tão vantajoso para mim quanto era antes. Mas, mesmo sem poder fugir das tarifas, ele é um site no qual eu ainda estou apostando para vender roupas e acessórios usados. Dos produtos novos da minha loja, só mantive alguns que têm uma grande procura e a margem de lucro maior.


OLX

enjoei site venda artigos usados
O terceiro e último site da lista é também o mais movimentado. Pelo menos no meu caso, a OLX sempre foi o lugar onde surge o maior número de contatos em comparação com os outros dois. Aliás, às vezes contatos até demais, rs. De vez em quando aparece algum engraçadinho no chat "confundindo" os apps e achando que ali é Tinder. Ninguém merece... Mas são minoria. Ainda bem.

Assim como no Mercado Livre, na OLX também existe a opção de anunciar gratuitamente ou pagando algum nível de destaque no site. Eu sempre escolho o anuncio grátis, e recebo contatos mesmo assim. Porém, existe um limite de anúncios gratuitos por categoria. Acesse a lista completa aqui.

É importante destacar que a OLX é somente um serviço de classificados e não oferece serviço de pagamento e envio. Então, não tem como finalizar a venda por lá. Por isso, após o primeiro contato e a venda acordada, eu sempre direciono o comprador pro Mercado Livre. 

Conclusão:

E esta é a combinação que tem funcionado melhor para mim quando se trata de vender roupas e acessórios usados: o combo OLX + ML. Um bom retorno com a melhor relação custo x benefício. 

Espero que o artigo tenha sido útil. Se você tem alguma dúvida ou já teve alguma experiência diferente com algum dos sites citados aqui, deixe o seu relato um comentário aqui abaixo.

sexta-feira, 15 de março de 2019

,

Eu já trouxe aqui pro blog algumas dicas de produtos para o tratamento da pele oleosa. Não sei se é uma regra, mas, no meu caso, além da pele do rosto, eu também tenho o couro cabeludo oleoso. Por isso, assim como uso sabonetes específicos para lavar o rosto, também não posso usar qualquer shampoo nos cabelos.

Já faz alguns anos (sim, anos) que eu encontrei um que vem atendendo razoavelmente às minhas necessidades: é o Shampoo Phytoervas Gengibre Controle de Oleosidade. E é sobre ele que eu vou falar hoje. 


Meu histórico de Oleosidade

Desde a infância, a escolha do shampoo sempre foi uma das decisões mais importantes da vida (rs), porque eu sempre tive dermatite seborréica, ou a popular seborréia. Mas, diferentemente da caspa, que é mais seca e forma aquele pózinho branco que solta da cabeça ao pentear o cabelo, deixando os ombros brancos, a seborréia é exatamente um sebo mesmo, como o nome sugere, que vai se formando sobre o couro cabeludo, gerando muita oleosidade.

No meu caso, esta oleosidade fica concentrada no couro cabeludo, não passa para os cabelos, que têm tendência ao ressecamento, pois são crespos. Este tipo de cabelo é naturalmente seco por causa do formato dos fios em espiral, que dificulta que a oleosidade natural chegue até às pontas. 

Por isso, eu sempre me vi às voltas com o dilema: ou mantenho o couro cabeludo limpo ou o cabelo hidratado. As duas coisas pareciam incompatíveis. Quando eu comprava um shampoo com um alto poder de limpeza, normalmente, ele detonava o fios. Se escolhia um mais suave, ele não limpava tão bem o couro...


Ao longo dos anos, já usei vários e vários shampoos diferentes que prometiam eliminar a oleosidade dos cabelos. Mas, o que funcionou melhor para mim até hoje é este Shampoo de Gengibre da Phytoervas. Isso porque ele é o único que eu encontrei que promove uma limpeza bastante eficiente do couro sem deixar os fios ressecados.

Pela primeira vez, eu não preciso escolher entre limpeza e hidratação, Estou conseguindo ter os dois. Eu lavo o cabelo 2X por semana e, a cada lavagem, eu sempre aplico o shampoo 2X e esfrego bastante o couro para limpar bem. Mesmo assim, os fios não ficam ressecados.

Além de eficiente, este shampoo também tem um ótimo custo X benefício porque rende bastante. Não é preciso aplicar uma grande quantidade para que ele faça bastante espuma. Com esta frequência de lavagem, os 250 ml da embalagem chegam a durar mais de 6 meses!

Por isso, apesar do preço um pouco alto (o frasco custa por volta de R$20) é um investimento que vale a pena. Você pode comprá-lo online no site da Droga Raia, por exemplo.


O shampoo é transparente, tem um cheirinho bem refrescante e agradável, e uma consistência levemente encorpada. Além disso, não contém sal, sulfato, corantes ou parabenos. Ou seja, o uso é livre para quem é adepto da técnica do low-poo.

Eu estou usando o Phytoervas Gengibre já há uns 4 anos, pelo menos. E pretendo continuar ainda por muito tempo até que eu encontre alguma solução melhor para mim. Sei que fala-se muito naquela "regra" de ter que trocar de shampoo periodicamente, senão o cabelo acostuma, e tal... Mas eu não posso me dar a esse luxo, porque é muito difícil eu encontrar um shampoo que funcione para mim.

Ele resolveu totalmente o meu problema? Não. Mas preciso frisar que eu não tenho uma oleosidade leve, comum. O meu caso é um pouco mais sério, trata-se de seborréia, e crônica. É uma característica genética que herdei do meu pai.

Quando eu era mais nova, cheguei a ir a vários dermatologistas para tentar resolver o meu problema, sem sucesso. Depois de muitas tentativas, eu desisti dos consultórios e passei a procurar soluções por conta própria.

E este foi o shampoo que chegou o mais próximo de um equilíbrio para mim. Eu ainda tenho seborréia de vez em quando e, provavelmente, sempre terei.  Até porque, após mais de 30 anos de convivência comigo mesma e muita auto-observação, eu cheguei à conclusão de que há também um forte componente emocional nisso tudo. 

Ou seja, é um problema crônico e complexo, mas que, com este shampoo, eu consigo manter minimamente controlado. Por isso, eu o recomendo muito para quem sofre com a oleosidade.


INFORMAÇÕES DO RÓTULO DO PRODUTO:
O Shampoo Phytoervas Controle de Oleosidade possui em sua formulação ingredientes naturais como gengibre, sálvia, menta e alecrim, que ajudam a controlar a oleosidade, deixando os fios macios e fáceis de pentear. Fórmula livre de ingredientes de origem animal. Produto não testado em animais. Sem sal, sem sulfato, sem corantes e sem parabenos.


Você já usou este shampoo? Qual a sua experiência com ele? Ou conhece algum outro shampoo eficaz para este problema? Por favor, deixe a sua dica nos comentários.